Atlético e Crac empatam em Catalão

Postado em: 01-03-2016 às 00h00
Por: Redação
Em jogo adiado por causa das chuvas, rivais não marcam gol no Estádio Genervino da Fonseca

Felipe Bonfim

Atlético e Crac voltaram a campo na tarde de ontem e fizeram o complemento do jogo de domingo, válido pela 8ª rodada do Campeonato Goiano e adiado pelas fortes chuvas em Catalão, mas antes não o tivessem feito. Com o campo novamente pesado, ambas equipes tiveram dificuldades, produziram muito pouco e não conseguiram sair do zero no Estádio Genervino da Fonseca.

Com novo empate, o rubro-negro segue na liderança do Grupo B, com 18 pontos somados. A equipe campineira é a única invicta e dona da melhor campanha na competição. Por sua vez, a equipe do interior foi a nove pontos com o empate e fecha a rodada na terceira colocação do Grupo A.

A partida se reiniciou a partir dos 26 minutos da primeira etapa, momento em que o árbitro Eduardo Tomaz decidiu pela paralisação no domingo. O Leão do Sul já havia realizado, inclusive, uma substituição com a entrada do zagueiro Ronaldo Trevisan no lugar do lesionado João Paulo.

A retomada do primeiro tempo teve poucas chances, a melhor delas da equipe mandante. Após cobrança de escanteio, o goleiro Márcio saiu mal e o zagueiro Ronaldo Trevisan cabeceou a esquerda da meta. O Atlético também assustou com Júnior Viçosa, que teve dificuldades de dominar após lançamento e finalizou por cima do gol.

Na segunda etapa, os times pouco fizeram. Magno Cruz com chute de fora da área e, novamente, Júnior Viçosa, com finalização mascada tentaram abrir o placar à favor dos rubro-negros. Marcus Winícius cabeceou após cobrança de escanteio de Luiz Fernando e também levou perigo.

Em entrevista à Rádio 730, o técnico Wagner Lopes lamentou o empate, mas reconheceu que, diante das condições de jogo, as dificuldades encontradas pelos seus comandados são compreensíveis.

“O empate teve um gosto amargo, mas é difícil jogar aqui em Catalão, principalmente com um campo tão pesado onde a bola não rola. Tivemos dificuldades e não conseguimos criar. Nós precisamos melhorar a saída para a construção das jogadas. Faltou caprichar no último passe”, analisou.

Ainda assim, o treinador rubro-negro ressalta a importância de time campineiro seguir invicto na competição. “Nossa equipe foi muito aguerrida, mesmo diante das dificuldades. Nunca havia passado por situação semelhante em 32 anos de carreira. Diante de tudo, voltar com um ponto, apesar de ruim, é preciso considerar que continuamos invictos”, concluiu.

(Imagem: Divulgação)

Compartilhe: