Rivais fazem clássico da afirmação

Postado em: 25-06-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Vila Nova e Goiás se enfrentam no Serra Dourada e buscam consolidar trabalho de treinadores recém-chegados

FELIPE BONFIM

Vila Nova e Goiás estão prontos para o quinto clássico entre as equipes no ano. Contudo, o técnico colorado, Guilherme Alves, e o alviverde, Léo Condé, viverão pela primeira vez o confronto entre vilanovenses e esmeraldinos. Ambos treinadores, ainda dando os primeiros passos das carreiras profissionais, foram contratados neste mês de junho e esperam que uma vitória no duelo de hoje, às 16 horas, no Estádio Serra Dourada, válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, sirva de afirmação neste início de trabalho.

Guilherme dirigiu o Tigre em apenas duas partidas – vitória sobre o Oeste-SP e derrota para o Criciúma – e tem nas mãos aquilo que acredita ser uma grande oportunidade de se provar à frente da equipe. O Vila não vence o clássico há quatro anos e o comandante colorado espera que o triunfo hoje possa ser um passo rumo à mudança desse retrospecto.

“Esse retrospecto negativo existe, é um fato, mas eu encaro isso como uma oportunidade. É uma chance de começar a mudar isso. Existe um abismo financeiro entre os clubes, mas eu volto a dizer. É uma grande chance e não uma dificuldade. Eu já senti o clima nas ruas. São provocações de ambos os torcedores. Só existe uma maneira de mudar isso, com a reestruturação, que já está acontecendo, no Vila. Se não, vai ganhar um jogo aqui, outro ali”, disse.

Léo Condé, por sua vez, acredita que o tabu a favor do Goiás não representa nada durante o confronto. O treinador esmeraldino vai para o seu quarto jogo à frente do time – foi derrotado pelo Paraná e venceu Avaí e Bragantino – e explica que apenas o desempenho das duas equipes irá determinar quem deixará o campo com os três pontos e vitorioso.

“Para o torcedor a questão dos números é considerada, mas depende muito do momento. Sabemos que existe o histórico favorável ao Goiás, mas futebol é decidido em 90 minutos e tudo pode acontecer. Temos que respeitar todos os profissionais e equipes. Os nossos jogadores estão preparados e queremos fazer um jogo forte contra o Vila”, afirmou.

Mudanças

Para quem sabe iniciar uma reviravolta no desequilíbrio do clássico em termos de retrospecto, o técnico colorado, Guilherme Alves, deve promover duas alterações na equipe em relação à que acabou derrotada na terça-feira. Expulso na última rodada, o zagueiro Vinícius Simon dá lugar a Douglas Assis. O atacante Leandrinho deixa a equipe para a entrada de Reginaldo. Com essa segunda mudança, o Tigre foi montano no esquema 4-1-4-1.

Com o efeito suspensivo conquistado pelo departamento jurídico do Vila, o volante Victor Bolt, suspenso por quatro partidas, está liberado para entrar em campo até o julgamento e, dessa forma, irá enfrentar o Goiás. O volante Robston, com contratura muscular, fica fora. Apesar da lesão, o jogador fez o possível para reunir condições de jogo, contrariando, inclusive, as orientações médicas – ele foi a campo ontem e trabalhou normalmente, mesmo sem ter sido liberado do DM.

No lado alviverde, o técnico Léo Condé também tem seus problemas e, como fechou o treino na manhã de ontem, no CT Edmo Pinheiro, deixou dúvidas sobre como irá escalar o time. O treinador esmeraldino não pode cotar com o meia JhonCley, lesionado. A tendência é que ele seja substituído pelo volante Wendel, recuperado de gripe, e esta seja a única alteração na equipe. O meia Léo Lima ainda precisa se recondicionar fisicamente e não será relacionado para o clássico.

Incêndio

Um início de incêndio, na madrugada de sexta-feira, quase provoca danos materiais no departamento médico do Vila Nova. O fogo foi provocado após um ventilador de parede da sala entrar em curto-circuito.Logo que iniciou o incêndio, funcionários correram e conseguiram controlar as chamas.  Apesar do acidente, não houve danos materiais. Ontem, funcionários do Vila realizaram a limpeza do local.  

Compartilhe: