Futuro de George Russell pode influenciar outros lugares na Fórmula 1

Após não ter um grande prêmio realizado no último fim de semana, a Fórmula 1 retorna com o GP de Silverstone. Antes

Postado em: 13-07-2021 às 18h40
Por: Felipe André
Ida de George Russell para a Mercedes é vista, nos bastidores, como algo concreto e isso abriria uma vaga na Williams para 2022 | Foto: Arquivo pessoal

Após não ter um grande prêmio realizado no último fim de semana, a Fórmula 1 retorna com o GP de Silverstone. Antes mesmo das férias realizadas entre a temporada, prevista para começar após a etapa da Hungria, que vai resultar em três fins de semana sem nenhuma corrida, os bastidores se aquecem para 2022 e tudo isso por conta do futuro do jovem piloto britânico George Russell, que atualmente está na Williams.

Sem conseguir somar pontos pela equipe, mas com grandes desempenhos e conseguindo um lugar no Q3 no treino classificatório do GP da Áustria, o piloto de 23 anos tem chamado a atenção. Por ser formado na “base” da Mercedes, Russell tem seu nome ligado a ser o próximo companheiro de Lewis Hamilton em 2022, apesar disso, ele confirmou que não vai ter nenhuma novidade neste fim de semana, como se especulava um possível anúncio.

“Já assinei com a Mercedes cinco ou seis anos atrás. Como todos sabem, eles cuidam de mim. Mas no que diz respeito à minha campanha para o próximo ano, nada foi assinado ou selado, e nada será anunciado em Silverstone”, disse Russell ao podcast oficial da categoria.

Continua após a publicidade

Com a indefinição da Mercedes, a Red Bull já informou que caso ele não vá para a equipe britânica, pode conseguir o jovem para ser o companheiro de Max Verstappen. A fala de Helmut Marko, dirigente da RBR e responsável pelo programa de pilotos da equipe austríaca, surpreende pela boa campanha de Sérgio Perez, que já venceu uma etapa nesta temporada e coloca a equipe com condições de voltar a vencer o título mundial de construtores. 

Em caso de uma possível saída de George Russel da Williams, a equipe britânica tem três nomes para buscar: Valtteri Bottas, Nico Hulkenberg e Daniil Kvyat. No paddock, a ida de Russell da Williams para a Mercedes no fim do ano é vista como certa e Valtteri Bottas, que perderia a vaga na equipe alemã, já teria seu nome ligado a um retorno ao time que o lançou na F1. Os dois últimos nomes estão sem equipe nesta temporada.

Veja Também