Gustavo Eugênio cita dificuldades após saída de clube grande: “O impacto é muito grande”

O mundo do futebol gira e se em um dia você está empregado, no outro você busca novos rumos na carreira, mas

Postado em: 15-07-2021 às 14h45
Por: Victor Pimenta
Zagueiro esteve por último na Jataiense, na disputa do Goianão 2021, indo com o clube até as quartas-de-final | foto: Arquivo pessoal

O mundo do futebol gira e se em um dia você está empregado, no outro você busca novos rumos na carreira, mas sempre mantendo a forma esperando novas oportunidades. Movido a desafios, o zagueiro Gustavo Eugênio tem se dado bem na área influencer até se apresentar a um novo clube.

Nascido e criado em Goiânia, o jogador é filho de um torcedor vilanovense apaixonado e que iniciou o jovem Gustavinho nas categorias de base do clube colorado. Depois de se destacar no Vila Nova, com apenas treze anos ele se mudou para o Rio Grande do Sul para jogar no Internacional, onde permaneceu por um ano.

Logo então, Gustavo Eugênio se mudou para as categorias de base do Santos, onde atuou do Sub-15 ao Sub-20, em um elenco repleto de craques, como Emerson Palmieri, Neílton, Lucas Crispim, Alison, Jubal, Gustavo Henrique, Cittadini, Pedro Castro entre outros.

Continua após a publicidade

“Essa base nossa foi muito boa. A gente conviveu juntos esse tempo todo e vez ou outra treinávamos com os profissionais, junto de Neymar, Ganso, então, foi uma experiência incrível que a gente nunca vai esquecer”, disse o zagueiro.

Após cinco anos no Santos e com o fim do seu contrato, um choque de realidade na carreira de Gustavo Eugênio. Então, o zagueiro começou a passar por muitos clubes até se firmar no mundo do futebol. Uma passagem curta e rápida pelo Paraná chegando somente na reta final do estadual e depois disso jogou por Feirense-BA, River-PI, Villa Nova-MG, Tupynambás-MG, Portuguesa-SP, Juventus-SP e no início do ano estava jogando no Cascavel-PR.

“Tem um impacto né. Quando você está em um time grande, você tem tudo do bom e do melhor e de repente você não tem mais nada. Nenhum massagista, nem aparelhos para tratar de lesões e tudo com o que você estava acostumado, você perde. Toda a estrutura e suporte que um jogador de time grande tem é totalmente diferente. Em um time pequeno você joga no seu limite e é muito impactante”, pontuou Gustavo.

O jogador então em 2021, reforçou a Jataiense na reta final do Goianão e a equipe que estava lutando para não ser rebaixado, acabou classificando para as quartas-de-final do estadual. Após a campanha, o zagueiro hoje encontra sem clube e enquanto não tem seu futuro definido, se aventura nas redes sociais onde propõe desafios para a sua esposa e tem feito sucesso.

“Eu estava só treinando e minha esposa também mexe com isso, já eu nunca mexi muito. Eu comecei a ver muito desse conteúdo no Instagram e gostava disso, então entrei na onda e comecei a fazer com minha esposa, mas ela fica brava quando perde”, concluiu o atleta.

Veja Também