Adson Batista admite sondagens, mantém comissão para próximo jogo e descarta treinador estrangeiro

Após optar pela saída em comum acordo com Eduardo Barroca, o Atlético Goianiense se reapresentou na manhã desta terça-feira (28/9) em um

Postado em: 28-09-2021 às 12h59
Por: Felipe André
Presidente do Atlético Goianiense, Adson Batista descartou um treinador estrangeiro e explicou o motivo dessa decisão | Foto: Comunicação/ACG

Após optar pela saída em comum acordo com Eduardo Barroca, o Atlético Goianiense se reapresentou na manhã desta terça-feira (28/9) em um treinador, ao menos um que tenha sido contratado para a função. O elenco teve a sua primeira atividade após a folga desta segunda-feira (27/9) e foi comandada por Eduardo Souza, auxiliar técnico da comissão permanente do rubro-negro. E comandante interino está garantido ao menos para o duelo deste sábado (2/10) diante do Fortaleza, às 17h (horário de Brasília), na Arena Castelão-CE.

Desde a oficialização da saída de Eduardo Barroca, muitos torcedores nas redes sociais começaram a pedir por novos treinadores. Nomes como o de Guto Ferreira, Dorival Júnior, Lisca e Umberto Louzer foram especulados como o próximo treinador do Atlético Goianiense, mas foram tratados como “especulação” por parte do presidente do clube, Adson Batista, que admitiu busca uma pessoa para pensar também na temporada de 2022.

“Com toda a sinceridade, quando busca fazer uma mudança, no mesmo momento já se começa as especulações. É lógico que fiz algumas sondagens, a maioria destes nomes a gente conhece, mas eu não tenho nenhuma negociação avançada. Neste primeiro jogo (contra o Fortaleza), a comissão permanente vai dirigir a equipe, eles possuem o metodo e as estratégias que nós entendemos ser as melhores, mas a comissão permanente tem algum desgaste ao longo do tempo. Como as opções no mercado não são vastas, vamos buscar com calma e logicamente a comissão conseguindo resultados, isso vai trazendo também uma tranquilidade, já que estamos no segundo turno de Brasileirão. É do nosso interesse trazer um treinador, também pensando no ano de 2022”, revelou Adson Batista.

Continua após a publicidade

Com uma nova onda de treinadores estrangeiros no futebol brasileiro, incluindo o argentino Vojvoda que comanda o Fortaleza, próximo adversário do Atlético-GO, isso não vai atingir o rubro-negro. Pelo momento na temporada, o presidente da equipe goiana descartou a contratação de um nome que não seja de um brasileiro para assumir o clube nos próximos 17 confrontos que ainda terá pela frente na Série A.

“A gente tem uma tranquilidade, é lógico que não é nada em excesso, de buscar um profissional. O momento de todos os campeonatos em atividade não são vastas. Treinador estrangeiro, neste momento, está descartado, pois ele precisa de um período para se adaptar e agora não tem margem para erro. Estamos com uma sequência de nove jogos sem vencer em casa, queremos uma filosofia diferente para conseguir as vitórias necessárias para chegar nos nossos objetivos”, completou Adson Batista.

Veja Também