Zé Roberto não vê “injustiça” durante período como reserva, mas pode voltar a ser titular

Postado em: 24-11-2021 às 19h41
Por: Felipe André
Após 13 jogos sem marcar, atacante balançou a rede no empate do Atlético-GO diante do Juventude | Foto: Bruno Corsino/ACG

Demorou, mas o jejum do atacante Zé Roberto teve um fim na noite da última terça-feira (23/11). Após 13 partidas sem saber o que era balançar as redes, o atleta marcou o gol do Atlético Goianiense no empate diante do Juventude, no estádio Antônio Accioly. A celebração pelo tento marcado acabou não sendo tão celebrado pelo gol sofrido nos minutos finais, que aumentou o jejum de triunfos do rubro-negro que agora já chegou a marca de sete jogos consecutivos.

Foi o 16º gol de Zé Roberto na temporada, além de duas assistências que o atacante concedeu para os companheiros de clube. O jejum já estava interferindo até mesmo na titularidade do atleta, que após se firmar no início da temporada se aparentou não ter uma forte disputa pela camisa 9, ele acabou sendo sacado para a entrada de Brian Montenegro e iniciou os últimos três jogos como reserva.

“Não acho que foi injusto (começar os últimos jogos no banco). O Marcelo Cabo e o Eduardo Souza têm a forma deles de pensar. Eu ficava mais chateado quando começava jogando e era o primeiro a sair sempre. Quando estava pegando o ritmo de jogo, poderia ter uma oportunidade e eu deixava o gramado frustrado e isso ficava me pressionando para resolver no primeiro tempo, ou eu acabaria saindo. Mas todo mundo tem direito de jogar, quem estiver melhor vai jogar”, analisou o atacante Zé Roberto.

Com o jejum quebrado, o atacante segue na disputa contra Brian Montenegro pela camisa 9 do rubro-negro e consequentemente pela titularidade. O paraguaio que marcou apenas um gol desde que chegou no time goiano ainda não conseguiu atuar os 90 minutos, sendo substituído nos últimos três jogos em que foi titular.

“Temos um grupo e eu tenho três centroavantes. O Zé Roberto vem entrando bem e fazendo o time crescer, pode ser uma estratégia dele entrar durante o jogo, estando com uma ‘perna mais leve’ para conseguir entregar o que entregou nos últimos 30 minutos contra o Juventude. O fato de enfrentar uma dupla de zaga alta, no último jogo, eu priorizei o Brian Montenegro para ele segurar ambos e ter uma presença de um atacante mais dentro da área, para fazer as triangulações das projeções pelo lado do campo. Vou analisar com muita calma e pode ser que ele seja titular ou possamos repetir o esquema com o Brian”, destacou Marcelo Cabo após a partida contra o Juventude.

Compartilhe: