Thiago Monteiro vira partida contra Baez e enfrentará Berrettini no Rio Open

Acostumado a viver momentos especiais no Rio Open, o brasileiro Thiago Monteiro tem mais um para guardar na memória. Depois de perder

Postado em: 16-02-2022 às 08h06
Por: Ildeu Iussef
Terceiro dia tem duelo Fognini x Carreño Busta, estreia de campeão Schwartzman, e brasileiros das duplas em ação | Foto: Rio Open/Fotojump

Acostumado a viver momentos especiais no Rio Open, o brasileiro Thiago Monteiro tem mais um para guardar na memória. Depois de perder o primeiro set, o cearense contou com o apoio da torcida para virar e vencer o argentino Sebastian Baez por 2 sets a 1, com parciais de 1/6, 6/4 e 6/4, em sua estreia na edição 2022, na noite desta terça-feira (15), no Jockey Club Brasileiro. O próximo adversário de Monteiro será o italiano Matteo Berrettini, em jogo que deve ocorrer na quinta-feira (17).

Monteiro havia perdido os dois jogos disputados contra Baez – as finais dos Challengers de Campinas e Buenos Aires, no ano passado. “Ele era uma pedra no meu sapato. Não comecei num bom nível, mas vinha me sentindo bem, competitivo e consegui buscar uma solução. A torcida ajudou muito, foi me dando energia, motivação, e eu aproveitei essa atmosfera maravilhosa para vencer”, contou Thiago, que tem como melhor resultado no Rio Open as quartas de final na edição 2017.

Em outra partida, o italiano Fabio Fognini, vice-campeão em 2015, venceu o argentino Facundo Bagnis por 6/2 e 6/4, e terá pela frente o espanhol Pablo Carreño Busta, nesta quarta, por volta das 19h. Os dois já se enfrentaram oito vezes, com sete vitórias do espanhol, atual 16º do mundo. Carreño Busta teve uma ótima temporada no ano passado, quando conquistou dois títulos – ATP 500 de Hamburgo e ATP 250 de Marbella -, além da medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio. Carreño Busta tem bons resultados no Rio Open: foi vice nas simples e campeão nas duplas em 2017.

Continua após a publicidade

A rodada teve algumas surpresas como a derrota do campeão de 2020, o chileno Cristian Garin, para o argentino Federico Coria por 6/2 e 6/0. O atual 19º do ranking mundial reclamou de dores no ombro direito. “Faz um tempo que não me sinto bem. Estou com essa lesão há uns meses e não consigo melhorar. Fiquei bem chateado com a derrota aqui”, disse. Já Coria saiu bem feliz da quadra. “Acho que foi a maior vitória da minha carreira”, disse.

O próximo adversário de Coria será o experiente espanhol Fernando Verdasco, que derrotou o sérvio Dusan Lajovic por 7/6 (4) e 6/3, com a torcida na arquibancada do lateral-esquerdo do Flamengo Filipe Luís. Eles são amigos da época em que o brasileiro defendeu o Atlético de Madrid. “Ele me prometeu que assistiria um jogo meu aqui e veio”, contou o vice-campeão do Rio Open 2018. Verdasco x Coria será nesta quarta, às 16h30, na quadra central.

Outro campeão que saiu derrotado foi o sérvio Laslo Djere. O vencedor de 2019 perdeu para o italiano Lorenzo Sonego por 6/2 e 6/0. 

A quarta-feira (16) também marcará a estreia do argentino Diego Schwartzman contra o espanhol Pedro Martinez, no último jogo da quadra central. Será o primeiro jogo entre os dois no circuito. Atual 14º, Schwartzman foi campeão do Rio Open em 2018. No último domingo foi vice-campeão do ATP 250 de Buenos Aires. Já Martinez tem como melhor resultado no Rio Open as quartas de final na última edição.

Brasileiros estreiam nas duplas nesta quarta-feira 

Chegou o dia da estreia dos brasileiros na chave de duplas do Rio Open. Os torcedores terão a oportunidade de ver em ação os campeões de Grand Slam Marcelo Melo e Bruno Soares, cada um com seu parceiro, e também Rogério Dutra Silva e Orlando Luz, e Felipe Meligeni com Rafael Matos. Bruno e o britânico Jaime Murray enfrentarão Rogerinho e Orlandinho, às 16h30, na quadra 1. Marcelo formou dupla com o uruguaio Pablo Cuevas e enfrentará na estreia o argentino Andres Molteni e o mexicano Santiago Gonzalez, após o jogo de Bruno. Já Meligeni e Matos terão pela frente os campeões de 2020, o argentino Horacio Zeballos e o espanhol Marcel Granollers, no último jogo da quadra 1.

Campeão de três títulos de Grand Slam, dois deles com Murray – Australian Open e US Open de 2016, Bruno chega sempre com grandes objetivos no Rio Open. “Fiz semifinal nas primeiras cinco edições, tanto com o Jamie quanto com outros parceiros, e nunca consegui beliscar essa final. Conquistar o título do Rio Open com certeza é uma das metas que tenho antes de me aposentar. Eu e o Jamie estamos jogando muito bem e, toda vez que disputamos o Rio Open, vamos com expectativa de um grande resultado”, disse o mineiro de 39 anos, dono de 35 títulos no circuito. 

O torneio marcará a despedida das quadras de Rogerinho. O paulista de 38 anos recebeu um convite da organização e formou dupla com Orlandinho. Rogerinho foi vice-campeão em 2019 ao lado de Thomaz Bellucci.

Já Melo, duas vezes campeão de Grand Slam (Wimbledon 2017 e Roland Garros 2015), tem como melhor resultado no Rio Open o vice-campeonato em 2014, quando jogou com o espanhol David Marrero. Na estreia com Cuevas, que já venceu nas simples (2016) e nas duplas (2017) no Rio Open, terão rivais difíceis. Molteni e Gonzalez conquistaram os últimos dois torneios que disputaram – Buenos Aires e Córdoba.

Outra forte dupla que estreia nesta quarta é a dos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, campeões do Rio Open 2014 e 2016. Cabal e Farah, campeões do US Open e de Wimbledon 2019, enfrentam os italianos Lorenzo Sonego e Andrea Vavassori, às 16h30, na quadra 2. A Itália tem mais uma parceria na chave. Fabio Fognini e Simone Bolelli, campeões do Australian Open 2015, estreiam contra o uruguaio Ariel Behar e o equatoriano Gonzalo Escobar, no último jogo da quadra 2.

Veja Também