Após goleada na estreia da Sul-Americana, Umberto Louzer e Jorginho pedem pés no chão

Na última terça-feira (5), o Atlético Goianiense estreou com vitória na fase de grupos da edição de 2022 da Copa Sul-Americana. Jogando em casa, no Estádio Antônio Accioly, o time comandado pelo técnico Umberto Louzer goleou a LDU, do Equador, por 4 a 0.

Postado em: 06-04-2022 às 20h24
Por: Breno Modesto
Ao lado de Umberto Louzer, Jorginho ostenta o troféu de melhor da partida contra a LDU | Foto: Bruno Corsino/Atlético-GO

Na última terça-feira (5), o Atlético Goianiense estreou com vitória na fase de grupos da edição de 2022 da Copa Sul-Americana. Jogando em casa, no Estádio Antônio Accioly, o time comandado pelo técnico Umberto Louzer goleou a LDU, do Equador, por 4 a 0. O destaque da partida foi o meia Jorginho, que marcou um dos gols e deu assistência para os outros três.

Após o término do jogo, o comandante rubro-negro demonstrou estar bastante orgulhoso da atuação de seus atletas. Segundo Louzer, o Dragão teve volume de jogo, intensidade e controlou o confronto. Apesar disso tudo e do resultado, ele pede pés no chão e lembra que foi apenas a primeira rodada e que há mais cinco pela frente.

“O que eles apresentaram dentro de campo é um motivo de orgulho. Tivemos volume de jogo, intensidade e o controle da partida. Nós criamos várias situações (de gol) e eles são merecedores desse resultado, dessa vitória. Porém, temos de continuar com os nossos pés no chão. Foi apenas a primeira rodada. Temos mais cinco jogos. Mas nós temos de comemorar, porque vencer é difícil e nós vencemos um grande adversário. E o que mais me agradou foi a maneira como nos apresentamos. Então, isso nos fortalece”, disse Louzer.

Continua após a publicidade

Eleito o melhor jogador do duelo, Jorginho também falou com a imprensa. De acordo com o camisa 10, este é o seu melhor momento pelo Rubro-Negro. E um dos motivos para tal afirmação, segundo o próprio jogador, é a chegada de Louzer ao clube.

“Estou vivendo meu melhor momento com essa camisa. Quando eu voltei, disse que minha história (no clube) não tinha acabado e que começaria novamente. E isso passa pelo professor (Umberto Louzer), que é um cara humilde e que dá confiança para os jogadores, tanto os 11 que começam (as partidas) quanto o grupo. Então, tudo que nós estamos vivendo passa por ele”, comentou Jorginho.

Ao falar da conquista individual, Jorginho diz que representa muita coisa para ele, mas que, apesar de ter sido fruto de seu trabalho, é algo que ele dedica a todo o grupo de jogadores e também aos torcedores, que foram ao Castelo do Dragão para apoiar o time mesmo num dia e horário um pouco fora do costume.

“Representa muita coisa. É uma história no clube. Sou um cara que trabalha muito e que não gosta de falar muito. Eu gosto de trabalhar. Os mais novos podem ver isso no clube. Eu procuro dar conselhos aos jovens. Quando eu entro em campo, entro para dar o meu melhor. Esse troféu vai para todo o grupo, que acredita, e para os torcedores que compareceram mesmo num horário ruim. Espero ganhar muitos troféus ainda durante a minha carreira e durante as competições. Mas sempre com os pés no chão”, finalizou Jorginho.

Veja Também