Dudu quer Atlético pressionando o Cuiabá, no jogo de ida da Terceira Fase da Copa do Brasil

Postado em: 19-04-2022 às 18h10
Por: Breno Modesto
O lateral-direito Dudu deve ser um dos titulares do Atlético para enfrentar o Cuiabá, na quinta | Foto: Bruno Corsino/Atlético-GO

Na próxima quinta-feira (21), o Atlético Goianiense entra em campo pela Terceira Fase da Copa do Brasil. Às 21h30, o time comandado pelo técnico Umberto Louzer recebe o Cuiabá, no Estádio Antônio Accioly, pela ida do confronto.

Um dos nomes que devem estar na formação titular do Dragão é o lateral-direito Dudu, que acredita que uma partida logo após a goleada sofrida para o Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro, sirva para “cicatrizar as feridas” deixadas pelo revés em solo paulista. Para o defensor, é preciso virar a chave e iniciar o mata-mata com muita concentração.

“Depois de uma derrota como essa que nós sofremos, é até bom já ter um outro jogo, porque você já “vira a chave”. (A Copa do Brasil) é uma competição de mata-mata. Então, temos de estar totalmente concentrados. É “cicatrizar as feridas” do último jogo e já ir para cima do Cuiabá. São 180 minutos, mas eu creio que, se fizermos um bom jogo e levar um resultado bom (para Cuiabá), teremos totais condições de ficar com a classificação”, disse Dudu.

Disputando três competições (Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana) ao mesmo tempo, o camisa 2 fala a respeito da dificuldade encontrada em todas elas. Apesar disso, Dudu cita que é preciso que o Rubro-Negro se imponha frente ao Dourado para buscar a vitória.

“Temos de viver um jogo de cada vez. Estamos em três competições. E todas elas são de extrema importância para nós. E também são muito difíceis. Agora, temos o Cuiabá. É esquecer o que passou contra o Bragantino. É claro que ainda dói, mas temos que pensar no Cuiabá, porque é mata-mata e nós precisamos nos impor dentro de casa e buscar a vitória”, comentou o lateral.

Por fim, Dudu afirmou que, para ficar mais perto do resultado positivo, o Atlético precisa fazer o que vinha fazendo anteriormente, que era pressionar o adversário e manter a intensidade que estava imprimindo nos jogos.

“Temos que fazer o que estávamos fazendo, que é pressionar o adversário. Precisamos colocar a bola no chão e jogar, pressionando nosso adversário a todo momento. Temos que ter intensidade, que é uma das grandes virtudes da nossa equipe. Eu acho que, se fizermos isso, temos grandes chances de sair com a vitória”, finalizou Dudu.

Compartilhe: