Conheça o roteiro do Sertões 2022, apontado como o maior rally do mundo

Postado em: 28-04-2022 às 13h08
Por: Ildeu Iussef
A edição 2022 do Sertões irá comemorar 30 anos de história e o bicentenário do Brasil com a realização do maior rally do mundo em trechos cronometrados | Foto: Fotop

A edição 2022 do Sertões irá comemorar 30 anos de história e o bicentenário do Brasil com a realização do maior rally do mundo em trechos cronometrados (especiais). Os detalhes do roteiro, que conta com 7.216 quilômetros, 4.811 deles contra o relógio, acaba de ser anunciado pela organização do evento. 

Serão 15 dias de disputas do Sul ao Norte/Nordeste do Brasil, contando o Prólogo e mais 14 etapas, que serão disputadas entre os dias 26 de agosto a 10 de setembro, com largada nas Cataratas do Iguaçu, na cidade de Foz do Iguaçu (PR), que faz fronteira com a Argentina e o Paraguai, e chegada ao mar de Salinópolis (PA).

O percurso foi conhecido na noite da última terça-feira (26), em evento no Museu do Ipiranga, em São Paulo. O Sertões 2022 terá passagem por oito estados: Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Piauí, Maranhão e Pará, e 14 cidades. Lembrando que a prova vale pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country.

Confira o roteiro completo e as características de cada etapa do Sertões 2022*:

1ª etapa – 27/8 (sábado)

Foz do Iguaçu (PR) / Umuarama (PR)

A primeira especial será um aquecimento para o Sertões 2022, com um dos menores trechos cronometrados do roteiro. A disputa será realizada em estrada agrícola, com piso de cascalho e bem técnica. Como é característica da região, haverá várias lombas – ou seja, a atenção na pilotagem e na navegação será fundamental para evitar os perigos.

2ª etapa – 28/8 (domingo)

Umuarama (PR) / Presidente Prudente (SP)

Com direção ao Sudeste, a segunda etapa é inédita e traz estradas de fazendas com lavouras de cana. A especial é apontada como a mais exigente da história do Sertões no quesito navegação. Principalmente nos últimos 110 quilômetros, por conta das referências muito próximas, qualquer erro pode custar muito tempo.

3ª etapa – 29/8 (segunda-feira)

Presidente Prudente (SP) / Campo Grande (MS)

O cenário muda com as fazendas pecuárias e sinais de lagoas características do Pantanal. As estradas são estreitas, porém rápidas e arenosas. No deslocamento final, será permitido transportar as motocicletas nos veículos de apoio.   

4ª etapa – 30/8 (terça-feira)

Campo Grande (MS) / Costa Rica (MS)

Inédita no Sertões, a especial traz várias estradas de cascalho. Será rápida no início, porém, a partir do km 50, haverá trial pesado e estradas estreitas até o km 200, local do abastecimento. O percurso continua por uma serra e, nos últimos 30 km, apresenta algumas lombas altas, o que exigirá bastante atenção. 

5ª etapa – 31/8 (quarta-feira)

Costa Rica (MS) / Barra do Garças (MT)

Do Mato Grosso do Sul ao Mato Grosso, a quinta etapa traz evento promocional em Alcinópolis (MS). A especial será bastante dura, com estradas estreitas e arenosas. A cada 50 quilômetros, as características da prova irão mudar – e não haverá zonas longas de radar no extenso percurso. O preparo físico será primordial para cumprir o desgastante dia.

6ª etapa – 1/9 (quinta-feira) – 1ª parte ETAPA MARATONA 1

Barra do Garças (MT) / São Félix do Araguaia (MT)

Será a maior especial da história do Sertões e a parte inicial da primeira Etapa Maratona, na qual não é permitido auxílio mecânico externo aos pilotos. Longas retas, extremamente rápidas, e muitas depressões (depressões causadas por poça seca) marcam o início do caminho, que fica bastante travado nos últimos 300 km. O final do dia terá muita areia, travessia de rios e uma travessia por balsa.

7ª etapa – 2/9 (sexta-feira) – 2ª parte ETAPA MARATONA 1

São Félix do Araguaia (MT) / Palmas (TO)

Após uma travessia de balsa pelo Rio Araguaia, os competidores descobrirão a Ilha do Bananal, local que conta com mais de 40 aldeias indígenas. É a menor especial do roteiro, mas que representa o final da primeira Etapa Maratona do Sertões 2022 – ou seja, os pilotos seguem sem contar com as equipes de apoio até o término da etapa. As características do local lembram a região do Jalapão, com piso arenoso. No deslocamento final até Palmas, será permitido transportar as motocicletas nos veículos de apoio.

8ª etapa – 4/9 (domingo) – 1ª parte ETAPA MARATONA 2

Palmas (TO) / Mateiros (TO)

Após o dia de descanso, a prova continua desafiadora com o início da segunda Etapa Maratona, que traz uma seleção das melhores trilhas da região do Jalapão. A maioria dos trechos com pontes de madeira ficou fora para evitar zonas de radar. A especial começa rápida, com piso de piçarra, mas logo em seguida vai para as areias – característica que predomina até o final. Haverá travessia do Rio Prata, muita areia e exigência na navegação.   

9ª etapa – 5/9 (segunda-feira) – 2ª parte ETAPA MARATONA 2

Mateiros (TO) / Bom Jesus (PI)

Etapa longa, que traz a parte final da segunda Etapa Maratona. O dia segue pelo mix das melhores trilhas do Jalapão, com direção ao Nordeste. Os últimos 80 km da especial são inéditos, ainda com muita areia. 

10ª etapa – 6/9 (terça-Feira)

Bom Jesus (PI) / Bom Jesus (PI)

Depois de dois dias em formato Maratona, as equipes de apoio permanecem em Bom Jesus (PI), tendo mais tempo para realizar a manutenção nos equipamentos. A especial terá roteiro em laço, começando pela bela região dos Cânions do Viana, muita “quebradeira” e terreno pesado de areia. Com apenas 2 km de deslocamentos, no final do dia, a etapa será marcada por muita navegação e quase 100% de trecho cronometrado.  

11ª etapa – 7/9 (quarta-feira)

Bom Jesus (PI) / Balsas (MA)

Apesar de já ter passado por Balsas em várias ocasiões, o Sertões reservou especial inédita para o trecho com direção à cidade maranhense. A especial começa com travessia de riacho e cenário de fazendas, na qual há predomínio do solo de piçarras. Haverá subida de serra, com um grande platô, onde o caminho começa a travar. Areia, muita navegação e médias velocidades também formam a especial apontada como uma das mais técnicas da edição 2022.

12ª etapa – 8/9 (quinta-feira)

Balsas (MA) / Imperatriz (MA)

A especial inédita começa rápida e dentro de pequenas lavouras de soja. Entra em trecho de serra, com muitas subidas e descidas, e segue com a mesma característica até o final.

13ª etapa – 9/9 (sexta-feira)

Imperatriz (MA) / Paragominas (PA)

Boa parte da especial será realizada em uma fazenda. O percurso será um dos mais travados do roteiro, mas dos mais bonitos também. Os primeiros 80 km sobem uma serra travada, misturando plantação de eucalipto com pastagens, e vão exigir muita navegação. Haverá deslocamentos pequenos para travessias de rodovias e pontos de altas velocidades, com passagens por vilas, até chegar no trecho mais travado do dia para acessar o Pará.

14ª etapa – 10/9 (sábado)

Paragominas (PA) / Salinópolis (PA)

Apesar de ser o último dia, a especial será “de gente grande” e mistura terreno com areia e pedra. Passa por áreas agrícolas e trechos de matas e fica bastante técnica na parte final, que é muito bonita. As equipes de apoio aguardam para comemorar no fim da especial, e todos poderão aproveitar a paisagem paradisíaca no litoral do extremo norte do Brasil.

TOTAL DO PERCURSO: 7.216 km

TOTAL DE ESPECIAIS: 4.811 km

Compartilhe: