Umberto Louzer não resiste à derrota para o Atlético-MG e é demitido pelo Atlético-GO

Postado em: 15-05-2022 às 19h02
Por: Breno Modesto
Umberto Louzer deixa o comando técnico do Atlético Goianiense depois de 22 jogos | Foto: Bruno Corsino/Atlético-GO

Chegou ao fim a passagem do técnico Umberto Louzer no Atlético Goianiense. O treinador não resistiu à derrota de 2 a 0 sofrida pelo Dragão contra o Atlético Mineiro, na noite do último sábado (14) e, nas primeiras horas da madrugada de domingo (15), teve seu desligamento anunciado através das redes sociais do clube rubro-negro.

Em sua conta oficial no Twitter, o Rubro-Negro escreveu as seguintes palavras para justificar a saída de Louzer: “O Atlético agradece ao técnico Umberto Louzer por sua atuação profissional nesse período em que trabalhamos juntos. Optamos pela mudança na comissão técnica por nossa necessidade de uma nova filosofia de trabalho neste momento”.

Contratado no fim do mês de fevereiro, para substituir Marcelo Cabo, Louzer deixa o comando técnico do Atlético Goianiense depois de 22 partidas. No período, foram 10 vitórias, sete empates e cinco derrotas, resultando num aproveitamento de 66,6% dos pontos disputados.

Sob o comando de Umberto Louzer, o Dragão foi campeão goiano, vencendo o Goiás duas vezes na final, chegou às oitavas de finais da Copa do Brasil, deixando União Rondonópolis, do Mato Grosso, Nova Venécia, do Espírito Santo, e Cuiabá pelo caminho, e se manteve na liderança do Grupo F da Copa Sul-Americana, com nove pontos ganhos em 12 disputados.

No entanto, no Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro vive um péssimo momento. Nas seis rodadas disputadas até aqui, nenhuma vitória conquistada. Foram apenas três empates e três derrotas, sendo uma delas para o Esmeraldino, na quinta rodada. O desempenho colocou o clube atleticano na penúltima colocação do Brasileirão, com três pontos, à frente apenas do Fortaleza, com um ponto a menos.

Além disso, outros fatores que foram determinantes para a demissão de Umberto Louzer foram as escolhas do técnico para escalar os times titulares e a leitura durante as partidas, onde costumava esperar bastante tempo para promover substituições. No entendimento do presidente Adson Batista, eram dois dos motivos que não estavam deixando o Rubro-Negro triunfar.

Sem Eduardo Souza e João Paulo Sanches, que faziam parte da comissão técnica permanente, o Atlético intensificará a busca por um novo profissional. Apesar de entender que não há tantos nomes disponíveis no mercado, Adson Batista espera ter um nome contratado até a próxima terça-feira (17), para que o escolhido comande o Dragão contra o Antofagasta, pela quinta rodada da Copa Sul-Americana.

Compartilhe: