Autor do gol da classificação às oitavas, Baralhas não esconde felicidade por feito histórico pelo Atlético

Na última terça-feira (24), o Atlético Goianiense atingiu um feito histórico. Pela segunda vez em sua história, o clube rubro-negro se classificou para disputar as oitavas de finais da Copa Sul-Americana.

Postado em: 25-05-2022 às 22h08
Por: Breno Modesto
Autor do gol da classificação às oitavas, Baralhas foi o melhor jogador na partida contra a LDU | Foto: Conmebol

Na última terça-feira (24), o Atlético Goianiense atingiu um feito histórico. Pela segunda vez em sua história, o clube rubro-negro se classificou para disputar as oitavas de finais da Copa Sul-Americana. Porém, esta foi a primeira vez no formato atual em que é disputada a competição internacional.

A classificação veio após o empate em 1 a 1 com a LDU, fora de casa, pela sexta rodada da fase de grupos do torneio. Depois de sair atrás do placar, o Dragão buscou a igualdade com um gol do volante Baralhas, de cabeça, após cobrança de escanteio de Jorginho, na etapa final da partida.

Pouco depois do apito final, o herói atleticano, que foi eleito pela Conmebol como o melhor homem em campo, não escondeu a felicidade pelo momento vivido e também por ter ajudado seus companheiros. De acordo com Baralhas, a altitude de 2850 metros da cidade de Quito, no Equador, não o atrapalhou e o que foi determinante para o resultado foi a mudança de postura da equipe em relação ao primeiro tempo.

Continua após a publicidade

“Não só para mim, mas para todos do Atlético Goianiense, é uma felicidade enorme por essa classificação histórica do clube na competição. Então, estou muito feliz por ter ajudado meus companheiros. Não senti tanta diferença em relação à altitude. Para mim, foi tranquilo. O que foi fundamental para conseguirmos essa classificação foi jogar o nosso jogo, colocando a bola no chão, com coragem. E não fizemos isso no primeiro tempo. Então, isso foi o primordial”, disse Baralhas.

Já o técnico Jorginho falou a respeito da atuação de seus comandados. Segundo ele, o primeiro tempo não foi como trabalhou, mas que, no vestiário, conseguiu fazer um ajuste tático, que fez com que o desempenho no segundo tempo fosse muito bom, mesmo com a pressão dos mandantes.

“O primeiro tempo não foi como o planejado. Não fizemos um bom primeiro tempo, mas conseguimos ajustar a equipe taticamente. No segundo tempo, o time foi muito bem. A LDU é uma grande equipe, faz pressão muito grande, mas suportamos isso”, analisou Jorginho.

Já na manhã de quarta-feira (25), no desembarque do Rubro-Negro em Goiânia, Jorginho afirmou que a passagem para as oitavas também representa muito para ele, que já “bateu na trave” em várias oportunidades. Sonhando alto, o treinador diz que a meta dele e do clube é serem campeões da Sul-Americana.

“Representa muito para mim também porque sou Atlético-GO, estou muito feliz de estar aqui, ter retornado e em tão pouco tempo a gente conquistar uma vitória importante contra o Coritiba (pelo Campeonato Brasileiro). É uma conquista inédita para mim também, como treinador, é importante. Sei que já fui um pouquinho longe em outras oportunidades, cheguei a uma semifinal e a uma final também. Mas não quero mais ‘bater na trave’, agora eu quero ser campeão”, finalizou Jorginho.

Veja Também