Mesmo em desvantagem, Leandro acredita em classificação do Anápolis na Série D

No último sábado (23), o Anápolis, único goiano que ainda segue vivo na Série D do Campeonato Brasileiro, estreou com derrota na fase de mata-mata da competição nacional.

Postado em: 26-07-2022 às 22h00
Por: Breno Modesto
Na visão de Leandro, o Galo da Comarca ainda tem condições de reverter a vantagem do time capixaba | Foto: Anápolis FC

No último sábado (23), o Anápolis, único goiano que ainda segue vivo na Série D do Campeonato Brasileiro, estreou com derrota na fase de mata-mata da competição nacional. Jogando fora de casa, o time comandado pelo técnico Luiz Carlos Winck foi goleado pelo Real Noroeste, do Espírito Santo, por 5 a 2.

Na avaliação de um dos principais nomes do elenco do Galo da Comarca, um fator determinante para o resultado negativo foi a logística de deslocamento até a cidade de Águia Branca, onde fica localizado o Estádio Ninho da Águia, que foi o palco do confronto. De acordo com o goleiro Leandro, o time capixaba tem seus méritos pela vitória, mas o desgaste físico acabou dificultando ainda mais o jogo para o Tricolor.

“Foi um jogo difícil para nós. O Real Noroeste teve o mérito da vitória, mas sofremos muito com a viagem até o local do jogo, que é muito desgastante. A logística não é boa. E, devido à falta de passagens disponibilizadas pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) junto à empresa de linhas aéreas, viajamos somente no dia anterior à partida. Todos os outros clubes que jogaram lá antes de nós, conseguiram ir dois dias antes de suas partidas. Infelizmente, na nossa vez, em um jogo decisivo de mata-mata, não foi possível que se fizesse o mesmo. Como eu disse, eles tiveram mérito pela vitória. Não se pode dizer o contrário. Mas, fatalmente, isso influenciou demais em nosso desempenho no jogo”, disse Leandro.

Continua após a publicidade

Apesar da desvantagem, o clima no Anápolis é de confiança na classificação. Segundo Leandro, não foi à toa que o Galo da Comarca chegou onde chegou no torneio. Por isso, ele acredita no potencial de sua equipe e espera por, no mínimo, um placar que leve a decisão para os pênaltis.

“Não chegamos aqui à toa. Temos condições de reverter (a vantagem do Real Noroeste), mesmo nessa situação desfavorável. Sabemos e confiamos no nosso potencial como time. E temos tudo para fazer um grande jogo e alcançar a vitória necessária para que nos leve, ao menos, para as penalidades máximas”, comentou o arqueiro.

Por conta de uma festividade no Estádio Jonas Duarte, o duelo decisivo entre Anápolis e Real Noroeste foi transferido para o Estádio Olímpico, em Goiânia. Na visão de Leandro, é algo que não favorece a equipe goiana, já que jogará numa praça esportiva onde não está acostumada.

“É uma situação que não nos favorece, pois saímos dos nossos domínios, onde estamos acostumados a jogar ao lado do nosso torcedor. A logística da vinda do adversário também acaba sendo favorável a eles, já que não precisarão se deslocar de Goiânia para Anápolis.
Mas sabemos que podemos superar todas essas dificuldades. Temos de nos adaptar rápido ao Estádio Olímpico, onde devemos treinar durante a semana e, assim, fazer um grande jogo e alcançar nossa classificação às oitavas de final”, finalizou Leandro.

Veja Também