Paulo Rogério concede entrevista coletiva e fala sobre Jair Ventura e reforços no Goiás

Na fria manhã desta quinta-feira (11), o dirigente esmeraldino foi entrevistado por quase uma hora.

Postado em: 11-08-2022 às 21h15
Por: Breno Modesto
Às vésperas do jogo contra o Avaí, o presidente esmeraldino, Paulo Rogério Pinheiro, falou com a imprensa | Foto: Rosiron Rodrigues/Goiás EC

Às vésperas do duelo contra o Avaí, pela 22ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, o presidente do Goiás, Paulo Rogério Pinheiro, convocou a imprensa e concedeu uma coletiva, onde falou de muitos assuntos. Na fria manhã desta quinta-feira (11), o dirigente esmeraldino foi entrevistado por quase uma hora.

O primeiro tema da coletiva foi Jair Ventura. Segundo Paulo Rogério, o comandante, após a derrota para o Palmeiras, no domingo (7), explanou situações internas, ao falar sobre contratações. No entanto, segundo o mandatário, as arestas foram aparadas, com o treinador recebendo uma proposta para renovar seu vínculo com o clube.

“Eu pedi para vir na coletiva porque, realmente, houve um desgaste após o jogo contra o Palmeiras. Eu não vi a entrevista (do Jair Ventura) ao vivo. Eu vi só depois, no canal do clube no YouTube. Como sempre, algumas pessoas gostam de pegar uma vírgula mal colocada. Eu já passei por isso algumas vezes. Por isso que eu optei muito pelo “Cinco minutos de prosa com o presidente”, nas minhas redes sociais, para evitar isso E, vendo a entrevista do Jair (Ventura), percebi que ele explanou, depois de uma frase mal colocada, que sabia das dificuldades financeiras do clube, mas que não sabia da “dificuldade e meia”, que surgiu após a nossa última reunião. Nós vínhamos nos reunindo mesmo com a janela (de transferência) fechada. E levantamos nomes para contratar. Nós temos uma reserva (financeira) e sabíamos que precisaríamos usá-la. E aí, o Jair Ventura fez uma explanação após sua fala. Depois disso, ele conversou com o Edmo (Pinheiro). E conversamos nesta semana. E eu falo claramente que ele já está com o contrato de renovação em suas mãos. Só tem uma cláusula para não renovar, que é no caso de sermos rebaixados. Como não vamos ser rebaixados, ele só sai do Goiás se quiser”, disse Paulo Rogério.

Continua após a publicidade

Ao comentar sobre contratações, Pinheiro diz que o veto da aquisição de novos jogadores partiu dele, que viu o Esmeraldino perder a “reserva financeira” que tinha designado para utilizar na janela de transferências. De acordo com ele, a proibição é uma maneira de evitar que o Goiás seja rebaixado e crie mais dívidas.

Nós perdemos a reserva (financeira). Se nós contratarmos, vamos atrasar salários e premiações. Aí, é rebaixamento. Com certeza. Eu, como presidente executivo, não autorizo contratar mais. Então, não teve problema com Harlei, com Edminho ou com Jair (Ventura). Se tem uma pessoa que segurou as contratações, fui eu, o presidente”, finalizou Paulo Rogério.

Veja Também