Ao lado da esposa, Caio Cézar, do Inhumas, ajuda massagista do clube a ler e a escrever

Com a ajuda de sua esposa, o meia-atacante tem sido o professor de Josenildo, o Rincón

Postado em: 21-09-2022 às 13h51
Por: Breno Modesto
O meia-atacante Caio Cézar, do Inhumas, tem ajudado o massagista Rincón a ler e a escrever | Foto: Arquivo pessoal

Líder da Divisão de Acesso do Campeonato Goiano, com 16 pontos conquistados, o time do Inhumas tem se destacado dentro e fora das quatro linhas. Isso porque, o meia-atacante Caio Cézar, vice-artilheiro do Pantera na competição estadual, com dois gols marcados até aqui, tem sido mais do que um colega de trabalho para o massagista do clube, Josenildo Queiroz, que é conhecido como Rincón.

Ao lado da esposa, Nathália do Valle, Caio Cézar está ajudando Rincón, que é analfabeto, a ler e a escrever. A ideia, segundo o próprio jogador, veio quando ele estava com uma lesão e, ao mandar uma mensagem de texto para o massagista, recebeu um áudio, onde ele dizia não entender o que estava escrito.

“Percebi (que o Rincón era analfabeto) quando eu estava com uma lesão no tornozelo. Mandei uma mensagem de texto, perguntando que horas seria o nosso tratamento e ele me respondeu por áudio, dizendo que não sabia ler e que era pra eu mandar um áudio. A partir daí, veio a ideia. Comentei com minha esposa sobre a possibilidade de ensiná-lo. Ela topou a ideia e, no dia seguinte, chamei o Rincón e perguntei se ele teria interesse em aprender. Todo feliz, ele disse que sim. E isso nos estimulou ainda mais a ensiná-lo, pois será algo que ficará guardado pra sempre na memória dele. O nosso intuito nunca foi que isso viesse a público, mas o Rincón ficou tão feliz e animado que fez publicações em suas redes sociais e gerou uma repercussão muito grande e positiva, o que nos deixou muito feliz. Queremos que essas divulgações possam estimular outras pessoas a fazerem o mesmo por alguém.
O futebol nos dá oportunidade de conviver com muitas pessoas, com as quais aprendemos muito e também podemos ensinar. O Rincón virou nosso amigo pessoal e o levaremos para sempre em nossos corações. Com certeza, no final desse processo, ter feito parte do aprendizado dele será como um título de campeão para mim”, conta Caio Cézar.

Continua após a publicidade

Outro momento que despertou a curiosidade do casal em relação a Rincón foi quando Nathália perdeu sua cadela e, ao mandar mensagem para o massagista, não obteve resposta. Ao questionar o marido sobre o ocorrido, ele recebeu a informação de que Josenildo não conseguia ler o que ela havia mandado. Em seguida, Caio teve a ideia de que os dois ensinassem ele a ler e a escrever.

“Quando nossa cachorrinha sumiu, eu mandei uma mensagem para ele. E ele não me respondia. Aí, eu perguntei ao Caio o motivo do Rincón não responder. Daí, o Caio me disse que ele não sabe ler e me chamou para ensiná-lo a ler e a escrever. Eu aceitei e nós começamos a ensiná-lo. E nós estamos surpresos, porque ele já sabe muitas coisas e tem aprendido com facilidade. E isso vai ser algo para a vida dele. Então, isso mexeu muito com a gente. Esse lado humano, de pensar que isso vai mudar a vida dele, já que ele vai conseguir ler as mensagens que as pessoas mandarão para ele. E ele também vai saber fazer contas, porque nós vamos ensinar isso também. Então, tudo isso mexeu muito com o nosso lado empático. Um simples gesto vai mudar para sempre a vida de uma pessoa importante para nós”, disse Nathália.

Ainda dando seus primeiros passos no mundo da alfabetização, Rincón conta que a atitude do casal é algo inédito em sua carreira e em sua vida. Segundo ele, a bondade de Caio e Nathália ficará para sempre em seu coração.

“Ninguém nunca tinha oferecido ajuda para me ensinar a ler. Eles representam ser pessoas boas e de coração muito bom. A lembrança dos dois ficará pra sempre no meu coração e nunca me esquecerei disso. Sempre serei muito grato a eles pela oportunidade de me ensinarem a ler e escrever”, revela Rincón.

Veja Também