Após bate-boca com torcedores, Adson Batista aceita críticas, mas repudia ofensas

O presidente rubro-negro foi cobrado por torcedores após a derrota contra o Internacional, na segunda-feira (19)

Postado em: 21-09-2022 às 21h49
Por: Breno Modesto
Segundo Adson, críticas e cobranças são coisas normais no futebol, mas ofensa é algo que ele abomina | Foto: Alan Deyvid/Atlético-GO

Na última segunda-feira (19), o Atlético Goianiense foi derrotado, em casa, pelo Internacional, no encerramento da 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o fim da partida, alguns torcedores rubro-negros, revoltados com o revés e com a campanha atleticana na competição nacional, onde o clube ocupa, atualmente, a penúltima colocação, com 22 pontos conquistados, protestaram contra o presidente Adson Batista.

Durante a reapresentação da equipe, que aconteceu nesta quarta-feira (21), Adson convocou uma entrevista coletiva e falou a respeito do episódio com a torcida atleticana. De acordo com o dirigente, críticas e cobranças são coisas normais no futebol. No entanto, ofensa é algo que ele abomina.

“Estou aqui para pacificar o clube, o que é a minha obrigação. No futebol, infelizmente, você convive com situações que, na minha compreensão e na de muitos, você não merece. Mas é algo passional. Se eu estou no futebol, é porque gosto disso e é porque eu amo o Atlético Goianiense. Amo muito mais do que muitos torcedores que me ofendem em redes sociais e como foi no jogo (contra o Internacional). Foi algo que eu nunca vivenciei. Cobrança, no futebol, é normal. Ofensa, eu abomino. Porque as pessoas precisam entender que caráter e reputação você não joga no lixo”, disse Adson.

Continua após a publicidade

O mandatário também comentou a respeito da situação vivida pelo Rubro-Negro no Brasileirão. Segundo Adson, o rebaixamento ainda não está decretado e, portanto, o clube vai lutar até o fim para permanecer na elite. Caso isso não aconteça, ele garante que voltará à Série A já no ano que vem.

“O Atlético Goianiense vive um momento muito difícil, tecnicamente falando, num ano que começou muito bem. Estamos em um momento onde muitos jogadores não nos dão a resposta que esperamos, tanto em técnica, em coragem e em postura. São profissionais ruins? Não são. Mas é um perfil muito parecido com jogadores que, na hora da dificuldade, não conseguem assumir a responsabilidade. Vou colocar só na conta dos jogadores? Não. Quem montou o time fui eu. Se o Atlético cair, coisa que ainda não aconteceu, nós vamos cair de pé. E o Atlético volta no ano que vem. Eu tenho certeza disso. Enquanto não acontecer (o rebaixamento), nós vamos lutar com unhas e dentes”, finalizou Adson.

Jogo-treino

Na reapresentação da equipe após a derrota contra o Internacional, na segunda-feira (19), os reservas e não relacionados no duelo contra o Colorado realizaram um jogo treino contra a Evangélica, que disputa a Divisão de Acesso do Campeonato Goiano. Na ocasião, o Atlético Goianiense acabou vencendo por 2 a 0, com gols do atacante Ricardinho e do zagueiro Camutanga.

Veja Também