Moacir valoriza o Campeonato Goiano e diz que não é hora de falar da Série A

Moacir (colete amarelo) disputa bola com Zé Robeto (colete branco) - Foto: Paulo Marcos/ACG

Postado em: 10-01-2020 às 17h15
Por: Raphael Bezerra
Moacir (colete amarelo) disputa bola com Zé Robeto (colete branco) - Foto: Paulo Marcos/ACG

Felipe André

O grande assunto na torcida atleticana e a expectativa para
esta temporada é o retorno para a primeira divisão em 2020. Além da disputa da
Série A e o foco no primeiro semestre que será a Copa do Brasil, o Atlético
Goianiense irá defender o seu título no Campeonato Goiano e para isso não vai
contar com o estádio Antônio Accioly, que estará sendo reformado, e com isso
vai jogar no estádio Olímpico.

Mas nem com todas as adversidades previstas o Atlético
Goianiense vai deixar de dar atenção para o torneio. Com 22 nomes no elenco e
ainda em busca de um zagueiro, o rubro-negro deve esperar o retorno da equipe
sub-20 que disputa a Copa São Paulo para promover alguns jovens, mesmo sem um
treinador, a escolha será do auxiliar fixo Eduardo Souza juntamente com Raphael
Miranda, treinador do sub-20.

Continua após a publicidade

“Está sendo montado um elenco bem competitivo, acredito que
os treinos com bola já mostram isso. As peças que chegaram são boas, de
qualidade e com experiência, acredito que tem tudo para dar certo. Temos agora
um título estadual para defender e vamos em busca de um bicampeonato, com todo
o respeito as outras equipes. Se fala muito da Série A, mas temos que ter
calma, temos um primeiro semestre inteiro com estadual e Copa do Brasil. Temos
que tirar um pouco essa expectativa da Série A, tem muita pressão por “jogos de
Série A”, destacou o volante Moacir, um dos remanescentes do ano passado.

O Atlético voltou a ser campeão do Goiano em 2019, o que não
acontecia desde 2014 e agora pretende espantar qualquer desconfiança. Moacir não
quer deixar qualquer dúvida sobre a importância do estadual, mas sem
desvalorizar o retorna para a Série A.

“Disputar um título não tem preço, cada campeonato tem seu
valor e precisamos valorizar (o Estadual). Se não tentar ganhar, vão falar
externamente que não ganhamos e fica desconfiança com o grupo para a Série A.
Vamos respeitar cada adversário e fazer um grande campeonato. Vai chegar o
momento para falar e viver a Série A, mas tem que respeitar o Goianão”,
completou o volante rubro-negro.

Nova profissão

O volante, de 33 anos, já começou a pensar em seu futuro e
ele deve ser dentro do futebol. O jogador já declarou a vontade de se tornar
treinador no futuro e revelou que ajudou Eduardo Barroca durante a passagem do
ex-treinador que culminou no acesso para a Série A, só tem um problema que
impediu o volante de estudar: as férias.

“Estou com um projeto para começar a fazer os
cursos [da CBF], mas o problema é que são em dezembro e é bem na época das
férias e eu gosto muito de ir para a praia. Estou fazendo a programação para
ver se esse ano ou no próximo eu consigo fazer. Eu penso em jogar mais uns
três, quatro anos, mas não sei o que vai acontecer até lá. Eu quero estar
preparado”, finalizou Moacir.   

Veja Também