Luiz Caldas lança novo álbum com pé no forró

Postado em: 04-06-2021 às 10h38
Por: Lanna Oliveira
Luiz Caldas acaba de lançar o disco ‘Remelexo Bom’ e o apresenta neste sábado (5) no #FestivalCulturaEmCasa | Foto: Divulgação

Com um álbum recém lançado, o rei do axé, Luiz Caldas, se apresenta em uma transmissão ao vivo neste sábado (5), às 21h30, no projeto #FestivalCulturaEmCasa. O cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor brasileiro, é conhecido por ter sido precursor do axé, gênero musical que criou um novo movimento no circuito baiano na década de 80. O show ocorre pelo site culturaemcasa.com.br. Lançada em abril de 2020, a plataforma #CulturaEmCasa tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais gratuitamente.

Nesta apresentação virtual, o músico, que já compôs mais de mil canções, traz sua história e sua participação na criação do movimento Axé Music. Luiz Caldas passeia por todos os estilos musicais e toca quase todos os instrumentos com maestria. Em 2020 ele completou 50 anos de carreira e, então, o que se tem é o perfil de um artista virtuoso, que não apenas vem escrevendo uma trajetória artística sem precedentes, como tem deixado um legado inigualável para a música brasileira.

Além do show, Luiz Caldas ainda tem novidades. O cantor baiano acabara de lançar o álbum de forró ‘Remelexo Bom’. “A sonoridade desse disco é original, é muito raiz”, descreve o artista. Com dez canções autorais, o álbum conta com diversas participações, entre elas a do amigo Carlinhos Brown. Disponível no site do cantor, luizcaldas.com.br, este é o 11º disco de forró que ele grava. Desde 2013, todo mês de junho, ele lança um álbum de forró com o intuito manter intacta a raiz desse estilo.

Contemplando o forró em uma versão mais tradicional e genuína, Luiz diz que não é fã dos “modismos” que foram incorporados ao longo dos anos nesse estilo musical e opina: “Tem certo tipo de música que não necessita de evolução, elas já são evoluídas ao ponto de serem únicas”. O cantor e compositor detalha que o disco de forró é uma forma de manter a originalidade do estilo musical, já que com o tempo, novos instrumentos e demais estilos estão sendo impostos à música nordestina.

Luiz Caldas diz que esse disco foi gravado da mesma maneira que Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, gravava. De acordo com ele, a gravação foi feita como era antigamente, que era com o regional, o mesmo grupo que tocava choro, tocava forró. Então, era violão de 7 cordas, cavaquinho, instrumentos que as pessoas nem acham que existam no forró. A paixão pelo gênero vem de longa data. Ligado ao estilo desde essa época, o forró sempre esteve ao seu redor por ser uma música bastante apreciada por seus pais.

“[O forró] Entrou na minha vida e ficou. Durante todo tempo que passei por bailes, eu toquei muito forró. Uma festa que nunca deixei de tocar, desde o tempo dos bailes. Quando eu comecei a gravar, de certa forma, a música que a gente usava no trio elétrico, ela é junina, que é o galope, um estilo que sempre foi gravado, não só por Luiz Gonzaga, Jackson [do Pandeiro] e por outros grandes. Já havia essa semelhança muito grande”, explica. Luiz ainda cita Luiz Gonzaga e Zé Nilton como referências do forró.

Participações especiais

Participaram do novo álbum de trabalho, os sanfoneiros Marquinhos Café, Jussiê do Acordeon, Daniel Novaes e Theus Oliveira trazendo uma vibe dançante para o disco. Para gravar todos esses músicos, a tecnologia foi grande aliada. Em tempos de pandemia, não foi possível reunir os músicos, nem encontrar os amigos, então cada um fez sua gravação e o resultado ficou por conta da edição. Outra participação emblemática do disco é a de Carlinhos Brown, ele canta a música ‘Carta de Zé’.

“A música conta uma história bem interessante. Eu fiz uma brincadeira com o lance dele [Brown] ter o mesmo nome de um dos três santos, que é Santo Antônio. Daí essa irmandade que a gente tem e musicalmente a gente está muito ligado à música brasileira em todos os seguimentos. Ficou bem divertido”, disse Luiz sobre o amigo e artista que tem como nome de batismo Antônio Carlos. Nós não estamos acostumados a ver Brown cantando forró, e segundo Luiz Caldas, o resultado é maravilhoso.

Além dos parceiros Reinaldo Barbosa e Paulinho Caldas, o compositor Cesar Rasec assina junto com Luiz as músicas ‘Carta de Zé’ e ‘Forró Zé Bode’. A coprodução do disco é de Nagib Barroso. O mestre Luiz Caldas, por sua vez, assina direção, produção, arranjos, gravação, violões, cavaquinho e voz. A percussão é de Claudinho Guimarães. Enfim, nesta apresentação do fim de semana pode-se esperar muita música boa e novidades desse álbum lançado na última terça-feira (1º).

Compartilhe: