Dia Mundial do Chocolate traz reflexão sobre crescimento do consumo do doce no mundo

Especialista dá dicas valiosas para o consumo do alimento em celebração ao Dia Mundial do Chocolate

Postado em: 07-07-2021 às 08h23
Por: Redação
Especialista dá dicas valiosas para o consumo do alimento em celebração ao Dia Mundial do Chocolate | Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (7), comemora-se o Dia Mundial do Chocolate, um dos alimentos mais consumidos e apreciados arredor do mundo. Não se sabe ao certo o porquê da escolha da data, mas acredita-se que seja referente ao registro histórico da entrada do chocolate na Europa, ainda no século 15. Mas de qualquer forma é mais uma boa desculpa para apreciar esta delícia vinda do cacau.

O consumo do chocolate cresceu 1,5% em 2020, na comparação com o ano anterior, chegando a 82,6% dos lares em todo o país. As vendas fora de casa, apesar da pandemia, aumentaram 9,3%, elevando de 7,5 para 8,2 a média de visitas do consumidor às lojas para comprar o produto. Os números foram levantados pelo Instituto Kantar, por encomenda da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab).

A nutricionista Carolina Fernandes Nobre, que atende no centro clínico do Órion Complex, em Goiânia, tranquiliza os chocólatras. Ela afirma que é possível consumir o alimento de forma saudável e dá uma dica valiosa: em suma, o mais importante é observar a composição com mais cacau e menos açúcar.  “A dica para fazer a boa escolha é conferir os ingredientes indicados na embalagem, eles são listados começando pelos que estão em maior quantidade para os que têm menos”, revela a especialista.

Continua após a publicidade

O grande problema, segundo ela, é exagerar no consumo daqueles que são mais gordurosos, por isso é importante ter o controle, destaca a nutricionista. A profissional explica que, hoje no mercado, temos várias opções de chocolates com ingredientes mais saudáveis, que podem até entrar em uma dieta balanceada. “O chocolate branco, por exemplo, é feito com maior teor de manteiga de cacau. A melhor composição é quando tem mais cacau, que é o melhor ingrediente. Dessa forma, os chocolates a partir de 70% de cacau são os melhores para serem consumidos”, ensina.

Paladar

Carolina Nobre sabe que quem gosta dos chocolates mais adocicados, como o branco e o ao leite, muitas vezes tem dificuldade em comer aqueles que possuem um teor maior de cacau e dá mais uma dica. “É importante as pessoas adaptarem o paladar, pois o sabor desses chocolates é bem diferente. A mudança pode ser gradual, ela passa do ao leite para um meio amargo, depois para o amargo e assim por diante”, conta a nutricionista.

A especialista orienta ainda sobre a quantidade ideal para se consumir por dia. “Do chocolate branco e ao leite, o ideal é ingerir apenas um ou dois quadradinhos de uma barra; já a partir de 70% até três quadradinhos”, afirma. Já para quem tem dificuldade de controlar o consumo, o truque é não comprar uma barra grande, compre uma pequena, assim a tentação é menor.

Saúde conjugada ao prazer

O chocolate vicia e apaixona muitos com o seu sabor e sensação que ele agrega. Isso ocorre devido a um de seus componentes básicos, o aminoácido feniletilamina, precursor da serotonina, substância que o ser humano fabrica em situações de felicidade.  Essa substância, também conhecida como hormônio da felicidade, encontra-se diminuída nas tristezas e depressões, e tem sua produção aumentada quando se consome o chocolate.

O nome científico do cacau, Theobromacacao, quer dizer ‘elixir dos deuses’. Uma lenda Maia diz que foram entidades divinas teriam dado o chocolate à humanidade. Isso talvez explique um pouco do fascínio e da sensação de bem-estar que esse alimento proporciona às pessoas.   Alguns resistem e preferem se privar do consumo desse alimento, alegando que pode causar espinhas e outras doenças relacionadas à ingestão excessiva de açúcar e gordura, outros não veem a hora de apreciar um pedaço de chocolate, visando suas propriedades antioxidantes e promotoras de bem-estar.

O cacau, por si só, é realmente benéfico, pois é rico empolifenóis, substâncias que, se consumidas com frequência, possuem uma série de benefícios à saúde, incluindo poderosa ação antioxidante e preventiva da formação de radicais e efeito protetor contra os danos ao DNA das células. O problema é que, mesmo com os avanços da indústria sobre a produção do chocolate, o processamento das sementes de cacau para transformá-las na guloseima pode levar a perda variável dos compostos fenólicos e, consequentemente, dos efeitos benéficos do ingrediente. (Especial para O Hoje)

Veja Também