Museu do Amanhã celebra o Dia do Cerrado com programação o mês todo

Postado em: 13-09-2021 às 09h17
Por: Redação
Documentário 'Cerrado: Da Água À Vida' faz parte da programação do mês do Cerrado | Foto: Reprodução

Por Elysia Cardoso

Em celebração ao Dia do Cerrado, comemorado no último dia  11 de setembro, o Museu do Amanhã preparou uma série de atividades que enaltecem as riquezas naturais e culturais desse bioma tão importante para a biodiversidade do País. Ao longo do mês, haverá atividades online, para que o público conheça mais e entre em contato com o bioma, considerado o berço das águas e a savana mais rica do mundo.

No quarto sábado do mês, 25 de setembro, estão programadas duas atividades: um encontro presencial da Horta do Amanhã, sobre espécies nativas do Cerrado, com o intuito de informar sobre sistemas agroflorestais. No mesmo dia, à tarde, será realizada uma oficina de ilustração científica pelo Zoom, com os ilustradores Pedro Vogeley e Marcos Ferraz. O encontro contará com uma parte expositiva, seguida de prática. 

Pedro, que atua junto ao Museu do Cerrado, além de participar do curso de capacitação para guias de turismo em observação de aves na região da Chapada dos Veadeiros, vai falar sobre a fauna e flora da região. A parte mais prática ficará a cargo de Marcos Ferraz, que criou e coordena o Núcleo de Ilustração Científica do Instituto de Ciências Biológicas da UnB. Em 2001, Marcos foi premiado pelo Margaret Mee Amazon Trust com uma bolsa de especialização em Ilustração Botânica no Royal Botanical Gardens, Kew, Londres.

Já no dia 30 de setembro, será exibido na página do museu no YouTube o documentário ‘Cerrado: Da Água À Vida’, produzido pela Agência Sapiens. O filme intercala cenas da região, das impressionantes quedas d’água às minúsculas flores e insetos, e conta com depoimentos de Bela Gil, do professor da UFRJ Fabio Scarano, de Jean Ometto, do Inpe e de Mercedes Bustamante, do UnB. O documentário ficará disponível para exibição por 24h.

Ainda na programação do mês do Cerrado, serão exibidos nas redes do museu três vídeos, de aproximadamente 1m30s cada, que abordam o impacto das mudanças climáticas no Cerrado. Vale destacar que, dentre as 8 principais bacias hidrográficas do Brasil, 6 são formadas por rios ou nascentes do Cerrado. Além disso, a região é responsável por boa parte da produção agrícola brasileira. O impacto do aquecimento global na região pode ter sérios impactos para todo o país. (Especial para O Hoje) 

Curiosidades sobre o Cerrado

  • O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, abrangendo uma área de 2,036.448km², cerca de 23,9% do território brasileiro. Possui grandes reservas subterrâneas de água doce que abastecem oito importantes bacias hidrográficas, como Amazonas, Tocantins/Araguaia, São Francisco, Paraná e Paraguai.
  • É considerado a savana mais rica do mundo: abriga 11,6 mil espécies de plantas nativas, 200 espécies de mamíferos, 800 espécies de aves, 180 de répteis, 150 de anfíbios e 1200 espécies de peixes.
  • Para conservar essa enorme riqueza, o ICMBio é responsável pela gestão de 64 Unidades de Conservação (UCs) federais localizadas no Cerrado, que protegem uma área de aproximadamente 5.310.486 hectares.
  • Entre as espécies de sua flora, mais de 220 têm uso medicinal e mais de 416 podem ser usadas na recuperação do solo degradado.
  • Só em 2019, as UCs federais desse bioma receberam cerca de 798 mil visitantes. As cinco unidades mais visitadas foram o Parque Nacional de Brasília, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, Parque Nacional da Serra da Canastra, Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e Parque Nacional da Serra do Cipó.
Compartilhe: