Dia Mundial da Luta Contra AIDS reforça a necessidade de se falar sobre e acabar com o preconceito

Dia Internacional de Luta contra a AIDS reúne entidades e empresas para lançar a campanha ‘#BePositive Quebre os Tabus do HIV’

Postado em: 01-12-2021 às 10h28
Por: Lanna Oliveira
Dia Internacional de Luta contra a AIDS reúne entidades e empresas para lançar a campanha ‘#BePositive Quebre os Tabus do HIV’ | Foto: Reprodução

Hoje, dia 1º de dezembro, é celebrado o Dia Mundial da Luta Contra AIDS. A cada ano que passa, o dia se consagra como um reforço para esta luta mundial. O objetivo deste dia é estabelecer a comunicação, promover troca de informações e experiências, e criar um espírito de tolerância social. A ocasião é uma oportunidade de se falar da infecção por HIV e da AIDS, de se ocupar das pessoas infectadas pelo HIV e das doenças da AIDS, e de saber mais sobre a doença. O evento anual conta com a maior parte dos países.

No Brasil, a data começou a ser comemorada no final dos anos 1980, envolvendo os governos federal, estaduais, distrital e municipais e organizações sociais. Segundo Ministério da Saúde, atualmente, cerca de 920 mil pessoas vivem com HIV no Brasil. Dessas, 89% foram diagnosticadas, 77% fazem tratamento com antirretroviral e 94% das pessoas em tratamento não transmitem o HIV por via sexual por terem atingido carga viral indetectável. Em 2020, até outubro, cerca de 642 mil pessoas estavam em tratamento antirretroviral.

Os objetivos da campanha são a desconstrução do preconceito sobre as pessoas vivendo com HIV/Aids e a conscientização dos jovens sobre comportamentos seguros de prevenção. Para contribuir com o proposito, aplicativo móvel líder mundial para pessoas gays, bi, trans e queer, se juntará nesta quarta-feira (1º) a grandes empresas, entidades, médicos e especialistas na campanha ‘#BePositive Quebre os Tabus do HIV’, que promoverá debates de conscientização sobre a luta contra a doença.

Continua após a publicidade

Infelizmente, a desinformação provocada pela falta de conhecimento pode trazer danos irreversíveis para a sociedade. Sabemos que o HIV e a AIDS não têm cura, apesar do tratamento correto e realizado no início do contágio ter eficácia para uma vida saudável. Ainda existe muita desinformação sobre prevenção, tratamento e relacionamento com pessoas que vivem com HIV. Por isso, a campanha ‘Quebre os Tabus do HIV’ quer estimular a conscientização sobre a doença, a partir do Dia Internacional de Luta Contra a AIDS.

A programação conta com três Lives mediadas pelo Podcast Viveração. A primeira no perfil da Rede Jovens SP+, com participação de Ricardo de Mello e debate sobre ‘O acolhimento de quem vive com HIV’; a segunda no perfil da RNP+BRASIL, com Paulo Giacomini, representante da entidade no Estado de SP, sobre ‘A luta contra o estigma social do HIV’. Finalizando o dia, a última é com o médico infectologista Eduardo Ditzel sobre ‘Tratamento e prevenção, o caminho para ser i=i (indetectável = intransmissível)’.

Para o médico Eduardo Ditzel, infectologista especialista em infectologia hospitalar e clínica, HIV e Infecções Sexualmente Transmissíveis, “existem várias formas de prevenir o HIV e as infecções de transmissão sexual, precisamos entender que fazer uso de preservativos é fundamental e uma das principais formas, mas também tratar quem tem a infecção através da PREP e da PEP além de testagens frequente. Pessoas HIV positivas possuem uma vida normal”. Médico infectologista e idealizador do canal Doutor Maravilha, Vinicius Borges reforça que e preciso vencer a sorofobia e trazer mais qualidade de vida a quem vive e convive com o HIV.

Veja Também