Bailarino do Basileu França é ‘Melhor Jovem Talento’ em tradicional competição na Suíça

Miguel Oliveira, de 16 anos, foi reconhecido entre 70 participantes de todo o mundo

Postado em: 14-02-2022 às 10h24
Por: Redação
Miguel Oliveira, de 16 anos, foi reconhecido entre 70 participantes de todo o mundo | Foto: Gregory Batardon

Por Elysia Cardoso

“Todos os bailarinos podiam ter o privilégio que tive. Isso seria incrível, ter aula com professores do mundo inteiro, poder se apresentar para milhares de pessoas por meio das transmissões. É algo único e que me acrescentou muito”, é o que afirma o bailarino da Escola do Futuro em Artes Basileu França Miguel Oliveira, de 16 anos. Ele recebeu o prêmio de ‘Melhor Jovem Talento’, oferecido pela Fundação Nureyev, na edição 2022 do Prix de Lausanne. 

Apenas dois brasileiros disputaram o Prix, que foi realizado em Montreux, na Suíça, entre os dias 30 de janeiro e 6 de fevereiro. Pelo destaque na competição, Miguel também ganhou bolsa de estudos em instituições consagradas: Houston Ballet Academy na América, Palluca University of Dance Dresden, Oslo National Academy of The Arts, Royal Ballet School Antuérpia, Universidade da Carolina do Norte e Hamburgo Ballet School/John Neumeier. Ele escolheu estudar em Hamburgo, na Alemanha.

Continua após a publicidade

Na hora de receber o prêmio, Miguel disse que deu aquele friozinho na barriga quando ouviu seu nome. “É uma etapa muito importante na minha vida e ter o prazer de receber um prêmio pelo trabalho que tive, junto com os meus professores, é algo inexplicável”, completa.

Técnica 

A coordenadora de Dança da Escola do Futuro do Estado de Goiás (EFG) em Artes Basileu França, Simone Malta, que também estava com Miguel na Suíça, disse que a qualidade técnica e artística desenvolvida pela equipe de professores, os componentes curriculares, a estrutura das salas e do teatro contribuíram para a conquista do jovem. “Tudo isso faz com que a escola se destaque entre tantas outras do mundo”, afirma.

Simone lembra que quatro bailarinos do Basileu França seguiram carreira internacional em 2020. “No ano passado foram cinco e, neste ano, que mal começou, o Miguel Oliveira já segue sua jornada de Goiás para o Mundo”.

Diretora da EFG em Artes Basileu França, Lóide Magalhães lembra que o diferencial da escola é a preparação. “O aluno do Basileu já sai pronto para o mercado de trabalho. Além disso, eles também têm a oportunidade de dançar e treinar muito, já que contam com um teatro dentro da escola.”

A EFG atende aproximadamente três mil alunos atualmente, em formações artísticas desde os cinco anos de idade até projetos como o ‘Vai Idade’, da área de teatro que atende mulheres acima de 45 anos.

Trajetória 

Natural de Brasília, Miguel Oliveira começou a dançar com cinco anos na escola onde o irmão estudava, no Distrito Federal. O bailarino chegou a EFG em Artes Basileu França aos 13 anos, por meio de um curso de verão. “Eu vim justamente por sempre ouvir falar que a escola formava e preparava muito bem os bailarinos. Nos festivais, os bailarinos do Basileu França sempre conseguiam destaque pela qualidade técnica e artística”, afirma o jovem.

Logo após o curso, Miguel mudou-se para Goiânia com o irmão e integra o Balé do Teatro Escola Basileu França. No cotidiano dos treinos e apresentações, a carreira internacional era o objetivo. “Sempre foi meu sonho, principalmente o Prix de Lausanne”, enfatiza.

O prêmio “Melhor Jovem Talento” conquistado na Suíça não deve ser o único de Miguel Oliveira neste início de ano. De 12 a 19 de abril, na cidade de Tampa, na Flórida, Estados Unidos, ele disputa a final do Youth America Grand Prix (YAGP) 2022, considerado o maior festival de balé do mundo em oferta de bolsas de estudo para bailarinos. O jovem está classificado na categoria sênior.

Veja Também