Raças como pitbull ainda são estereotipadas como agressivas, mas a internet ajuda a desmistificar essa imagem

Pitbull influencer aborda em vídeos curtos o preconceito de raças na internet

Postado em: 18-02-2022 às 09h53
Por: Redação
Pitbull influencer aborda em vídeos curtos o preconceito de raças na internet | Foto: Reprodução

Por Elysia Cardoso

Os pets estão em alta nas redes sociais, viralizando principalmente pela explosão de fofura ou pelo excesso de carisma. Em meio a esse conteúdo leve e divertido há influenciadores que, além de mostrar o dia a dia dos seus animais de estimação, têm utilizado as plataformas de vídeos curtos para falar da conscientização sobre o preconceito que, infelizmente, ainda existe com determinadas raças.

O pitbull, por exemplo, costuma ser automaticamente associado a um comportamento mais agressivo. Segundo a organização norte-americana de proteção à natureza One Green Planet, a raça segue como a de maior morte induzida em abrigos nos Estados Unidos. O rótulo de violento e perigoso nasceu do fato de ter sido utilizado como cão de briga em rinhas no século 19. Na opinião de tutores que vêm se destacando na internet com perfis de pets, quando vídeos de ataque viralizam nas redes sociais o assunto é comumente tratado de forma rasa, o que contribui para o enraizamento da intolerância contra certas raças de pets.

Continua após a publicidade

Fenômeno Thor

Iago Barbosa, de 25 anos, é bancário e está há quase quatro anos com o pitbull Thor. Começou a postar vídeos com seu “cãopanheiro” há apenas cinco meses com o objetivo de desmistificar a crença de que os cachorros da raça são vilões. Apesar do pouco tempo de existência, o perfil “O Thor Pitbull” já faz enorme sucesso nas redes sociais, com 1M de seguidores no Kwai, por mostrar não só as peripécias do cachorro, mas também por levar ao grande público informações pouco conhecidas sobre a raça.

O tutor conta que as pessoas sempre tiveram medo de se aproximar de Thor na rua, mesmo quando ele era apenas um filhote, chegando a chamá-lo de ‘monstro’ sem ter qualquer conhecimento ou contato com o cachorro. Iago se perguntou, então, como poderia mudar o pensamento dessas pessoas. Decidiu criar um perfil do cão no Kwai, app de criação e compartilhamento de vídeos curtos, com o objetivo de ajudar a descolar com originalidade  a imagem dessa raça do estereótipo negativo.

O pai do pet está muito feliz com a proporção que seus vídeos tomaram e como eles têm conseguido alcançar milhares de pessoas de maneira orgânica. “A internet está sendo fundamental para educar as pessoas e transformar a percepção acerca da fama de mau dos pitbulls, que são, na realidade, extremamente carinhosos, leais e inteligentes. Os aplicativos de vídeos curtos, nos deram a oportunidade de crescer muito rápido e ter bastante visibilidade, tanto que em pouco tempo já arrebatamos mais de 700 mil seguidores no Kawai”, comemora Iago.

O tutor de Thor frisa, contudo, que a luta contra o preconceito começa com o cuidado. Para quem deseja ter um pitbull dentro de casa, é preciso, antes de mais nada, responsabilidade. “Muitos donos dessa raça acabam tendo atitudes ruins, e o cão acaba sendo um reflexo disso”, ressalta. “A lição que deixo é que devemos, acima de tudo, entregar amor sincero ao animal e assegurar espaço para ele brincar e gastar energia”.

Veja Também