Mestre em nutrição explica por que a alimentação glúten free nem sempre é eficaz para a perda de peso

Especialista alerta sobre a importância de não seguir uma dieta da moda sem fazer algumas pesquisas antes

Postado em: 24-02-2022 às 09h27
Por: Redação
Especialista alerta sobre a importância de não seguir uma dieta da moda sem fazer algumas pesquisas antes | Foto: Reprodução

Por Elysia Cardoso

Cada vez mais produtos sem glúten estão surgindo nas prateleiras. A mudança está relacionada a hábitos de consumo. Os produtos glúten free nasceram para atender o público celíaco, que quadruplicou desde a década de 50. O organismo dos celíacos produz uma reação imunológica ao glúten e, por essa razão, estas pessoas precisam banir a proteína de sua alimentação. Para ser ter ideia, espera-se que, em 2027, o tamanho do mercado global dessa categoria chegue a US﹩ 43,65 bilhões, segundo o relatório da Grand View Research.

Alimentos preparados sem glúten são perfeitos para quem sofre com intolerância ou sensibilidade a ele. No entanto, muitas outras pessoas deixaram de consumi-lo acreditando ser uma ótima estratégia para perder peso. “Mas um alimento sem glúten não significa necessariamente que tenha menos calorias ou seja mais saudável”, coloca a mestre em Nutrição Susan Bowerman, diretora sênior global de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition.

Continua após a publicidade

O glúten é uma proteína encontrada no trigo, no centeio e na cevada. Quando consumido, é usado pelo organismo para construir e reparar o tecido muscular ou sintetizar outras proteínas do corpo, como hormônios e enzimas.

Na culinária, esse ingrediente fornece estrutura para produtos assados, mas também pode ser isolado para se tornar um substituto da carne vegetariana, conhecida como seitan ou ‘carne de trigo’. Como outras proteínas derivadas de cereais, o glúten fornece boa parte dos aminoácidos essenciais – aqueles que o corpo não é capaz de produzir, portanto devem ser consumidos pela alimentação.

Por esse motivo, as pessoas que consomem o seitan como substituto da carne são aconselhadas a incluir outras proteínas vegetais na dieta, como feijão e lentilha, para complementar com outros aminoácidos necessários.

Diminuição de medidas

Muitas pessoas acham que não conseguem lidar bem com o glúten porque se sentem estufadas ou com gases quando comem grãos ou porque se percebem menos inchadas quando param de comer esses alimentos. Elas também afirmam muitas vezes que perdem peso quando os tiram da dieta.

Mas a questão é que, provavelmente, elas estariam cortando os fast food, alimentos processados ​​e os substituindo por frutas e vegetais ricos em fibras, o que estaria promovendo uma melhor digestão e ajudando na perda de peso.

Como a principal fonte de glúten ainda é o trigo e qualquer coisa feita a partir dele, alguém que evite consumi-lo renuncia alimentos como pão, arroz, macarrão, bolos, tortas e biscoitos e passa a obter mais carboidratos de frutas e vegetais, que é uma estratégia para perder peso.

No entanto, um grande número de produtos glúten free, entre eles, brownies, ganola, bolos, biscoitos e até pizza, usam farinha de arroz refinado, amido de milho e fécula de batata no lugar da tradicional farinha de trigo. É carboidrato no lugar de carboidrato. “Portanto, evitar o glúten não vai necessariamente ajudar a reduzir calorias, por isso é tão importante prestar atenção às informações nutricionais da embalagem. Aliás, algumas versões sem glúten ainda podem carregar mais gordura do que a versão regular e, consequentemente, prejudicar a perda de peso”, alerta Susan. Daí a importância de não seguir uma dieta da moda sem fazer algumas pesquisas antes e também entender que a nutrição é complexa e deve ser específica para cada pessoa.

Veja Também