Evento dedicado à artistas goianas cria oportunidades para as mulheres que se entregam a fazer música

Sôila Steter é uma das artistas convidadas para se apresentar no festival

Postado em: 25-02-2022 às 09h19
Por: Lanna Oliveira
Sôila Steter é uma das artistas convidadas para se apresentar no festival | Foto: Reprodução

Acreditar na cultura goiana já faz parte do dia a dia do Essência, e a cada projeto destinado ao fazer artístico regional nos enche de esperança por dias melhores. Entender que a arte é o que molda uma sociedade, nos faz enaltecer aqueles que se entregam para esse universo. Esse é o pilar do festival de MPB dedicado as mulheres ‘O Sentir Delas’. Voltado para a valorização da arte feminina musical produzida no estado de Goiás, o evento recebe inscrições entre os dias 3 e 15 de março virtualmente.

Oferecer as artistas mulheres estímulo, oportunidades, coragem e empoderamento, reforçar seu lugar de fala, potencial artístico, força da troca e do fazer em coletivo é a proposta do projeto ‘O Sentir Delas’. Um festival de Música Popular Brasileira exclusivo para mulheres é inovador e cria grandes expectativas entorno do potencial que elas podem alcançar. Esta é a primeira edição do festival, no qual cantoras, musicistas, técnicas e até mesmo curadoras, possam traduzir o sentir e o sentido de vibrar a arte expressada pela alma feminina.

O evento também tem como proposta uma leitura moderna da MPB, com a presença da programação musical, do violão, do baixo e da percussão. Isso significa que cada, das sete cantoras selecionadas ou convidadas, fará sua própria releitura sonora de quatro músicas que melhor se identificam dentro desse universo, em um show com duração aproximada de 15 minutos. Com curadoria das professoras de música Flávia Cruvinel e Gilka Martins, o evento divulga o resultado no dia 18 seguinte.

Continua após a publicidade

“O Festival O Sentir Delas visa abrir caminho para que o público feminino consiga se posicionar como merece na sociedade, além de quebrar barreiras e preconceitos. Além do mais, a pandemia deixou essas mulheres artistas, técnicas e produtoras, que vivem de arte, em situação precária mediante ausência de trabalho e impossibilidade de atuação e de sobrevivência, portanto, não podemos deixar de empoderar e fortalecer iniciativas que deem suporte ao fazer artístico dessas mulheres”, ressalta a cantora e produtora Rainy Ághata, que idealizou o festival.

O Festival será transmitido nos dias 17 e 18 de maio, de forma online, datas declaradas Dia de Combate à Homofobia e Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, portanto, o evento também chamará atenção para os temas. Está prevista também a transmissão em telão para as mulheres do Centro de Valorização à Mulher (CEVAM). No mês de junho, uma roda de conversa com as cantoras selecionadas e as artistas convidadas debaterá ‘os desafios de ser artista numa sociedade patriarcal’.

Além das sete cantoras selecionadas, subirão ao palco as artistas goianas Rainy Ághata e Sôila Steter. Todas estarão acompanhadas por banda formada por Isis Krisna, que é violonista, baixista, compositora, arranjadora e programadora musical, e também pela violonista Rebeca Barbosa e pela percussionista Amara Pinheiro. A programação ainda contará com monólogo da atriz Ana Cristina, que soma mais de 35 anos de carreira. Durante a veiculação dos shows, as cantoras também estarão ao vivo no YouTube Cereja do Cerrado interagindo com o público.

Veja Também