Mostra multimídia de 20 artistas poderá ser visitada gratuitamente até o dia 9 de abril no Espaço Fonte, São Paulo

O quadro sem título, parte da exposição, é de autoria da Cassia Cola e foi concebido em 2019

Postado em: 26-02-2022 às 10h58
Por: Redação
O quadro sem título, parte da exposição, é de autoria da Cassia Cola e foi concebido em 2019 | Foto: Reprodução

A inquietação dos dias atuais é o cerne da exposição ‘Romper a superfície é abrir um rio para dentro’, promovida pelo Hermes Artes Visuais, que será aberta no dia 12 de março, às 11h, no Espaço Fonte, em São Paulo. A mostra multimídia tem entrada gratuita e pode ser visitada até o dia 9 de abril. Com organização de Carla Chaim, Nino Cais e texto crítico da curadora Paloma Durante, reúne trabalhos de 20 artistas, criados especialmente para o evento, que se encontram semanalmente para debater a produção de suas obras e os desafios do cenário artístico. 

O Hermes Artes Visuais é um espaço de arte independente que há 11 anos promove, através de cursos, debates, exposições e outras propostas coletivas, o amadurecimento crítico de artistas em diversas fases de sua produção. O coletivo de 20 artistas que integram a mostra se reúne semanalmente há cerca de três anos e desde o ano passado se debruçou sobre a proposta de traduzir em arte a relação do indivíduo com as marcas e cicatrizes deixadas pela instabilidade atual do País e do mundo. 

Os artistas vivem em diferentes regiões do Brasil como São Paulo, Bahia e Goiás, entre outras. “A mostra é uma representação dos dilemas, conceitos, provocações que a gente tem, como são essas trocas, como os diálogos se tornam cicatrizes nesses tempos que demandam novas posturas”, apontou Carla Chaim. Segundo ela, toda a discussão converge em representações artísticas de técnicas variadas, como vídeos, fotografias, pinturas, desenhos, sites specifics e performances que vão acontecer no local. 

Continua após a publicidade

Cada artista produziu de um a três trabalhos para serem exibidos na mostra. As obras estarão à venda. A exposição leva para o público a concretização de um projeto que é ao mesmo tempo individual e coletivo, baseado nas perspectivas de cada artista, mas também resultado das visões conjuntas trabalhadas durante os encontros semanais. “É o processo de criação de cada um, mas também é um processo de criação coletivo, revelando a potência criativa pessoal e global”, resumiu Nino Cais. 

De acordo com Carla Chaim, ‘Romper a superfície é abrir um rio para dentro’ busca divulgar os trabalhos dos artistas e também fomentar relações entre o público e as obras. “A arte precisa do artista, precisa da obra de arte e precisa do espectador. Nessa tríade, o trabalho se forma, se potencializa e se transforma”, afirmou. Em 11 anos de atividade, a Hermes Artes Visuais já promoveu mais de 40 exposições, concretizando obras de cerca de 60 artistas que integram o projeto.

Veja Também