À mesa dos brasileiros: Nutricionista indica quais cuidados deve-se tomar ao inserir a dieta vegetariana ou vegana

Os adeptos da dieta dizem que a mudança tem também um cunho socioambiental, já que acreditam que o consumo de carne é um dos motivos de desmatamento ao redor do mundo

Postado em: 05-04-2022 às 09h55
Por: Lanna Oliveira
Os adeptos da dieta dizem que a mudança tem também um cunho socioambiental, já que acreditam que o consumo de carne é um dos motivos de desmatamento ao redor do mundo | Foto: Reprodução

A busca por um corpo saudável e funcional tem tomado os consultórios de médicos e nutricionistas. Aliada às atividades físicas planejadas, a alimentação é fator determinante para o alcance desse objetivo. Ao longo dos anos a combinação de alimentos foram mudadas, propriedades e nutrientes descobertos e assim, novas dietas surgiram. Entre as mais diversas possibilidades de nutrir o organismo, o veganismo e vegetarianismo ganharam destaque na mesa dos brasileiros. Mas quais particularidades que devemos estar atentos?

Segundo dados da Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), em todas as regiões brasileiras, independentemente da faixa etária, 46% dos brasileiros já deixam de comer carne, por vontade própria, pelo menos uma vez na semana. Uma pesquisa de 2018, encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) ao Ibope, mostrava que 14% dos brasileiros se consideravam vegetarianos. Na ocasião, 30 milhões de pessoas se declararam veganos, isto é, adeptos da dieta e do uso em geral de produtos isentos de componentes de origem animal.

Para a nutricionista e professora de nutrição da Estácio, Daniella de Brito, a mudança de hábitos para uma dieta vegana ou vegetariana não oferece risco à saúde. Ela alerta, porém, para a necessidade de acompanhamento de um profissional da nutrição habilitado. “Se não estiver com uma dieta balanceada em proteínas, zinco, ferro e vitamina B12, principalmente, pode acarretar um quadro de anemia e baixa proteína, deixando o sistema imunológico também mais frágil”, argumenta.

Continua após a publicidade

Mas entendamos o que de fato é vegetarianismo. Para a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) o vegetarianismo é o regime alimentar que exclui os produtos de origem animal. A instituição reconhece variações de interpretação do termo por causa do dinamismo da linguagem. Algumas pessoas se declaram vegetarianos mas ainda inserem em sua alimentação ovos, leite e laticínios. Mas desde sua fundação a SVB preconiza o vegetarianismo estrito, ou seja, a não utilização de nenhum produto de origem animal em seu cardápio.

Famosas como Yasmin Brunet, Thaila Ayala, Tatá Werneck, entre muitas, aderiram à mudança de hábito, mas alertam para a importância da reposição de vitaminas encontradas na carne animal. Daniella exemplifica esse aspecto, principalmente sobre a vitamina B12. Ela relata que “a B12 existe em baixíssimas quantidades nos vegetais, podendo causar anemia e oferecer riscos à saúde. Neste caso específico, é preciso fazer suplementação por cápsulas, principalmente para as crianças ou mulheres grávidas, cuja necessidade de B12 é ainda maior do que a dos adultos”.

Para a suplementação do organismo, na falta da carne, a nutricionista explica que podem ser utilizados outros alimentos. Ela acrescenta: “Temos alimentos ricos em proteína de origem vegetal, como castanhas, semente de abóbora, girassol, linhaça, quinoa, amaranto, cogumelos, algas e leguminosas, como o feijão. Além dos vegetais que auxiliam na reposição de vitaminas e minerais, como os vegetais verdes escuros e sua associação com frutas ricas em vitamina C, para auxiliar a melhor absorção do ferro”.

Os adeptos da dieta dizem que a mudança tem também um cunho socioambiental, já que acreditam que o consumo de carne é um dos motivos de desmatamento ao redor do mundo. Daniella alerta para os benefícios de não consumir carne fisicamente. “Algumas pessoas que tem gastrite, úlcera, problemas digestivos, doenças intestinais, se beneficiam em cortar a carne, entretanto, não devemos generalizar já que o indivíduo é um ser único. O ideal é nunca abusar de um tipo de alimento, então variar com outras fontes de proteína é o mais indicado”.

A nutricionista orienta sobre os cuidados para quem deseja começar uma dieta vegetariana ou vegana, aquela que o não uso de derivados de animais vai além da alimentação, abrange todas as esferas de consumo. “Se programe para consumir mais leguminosas, verduras, castanhas e sementes em uma rotina. Inicie o uso também de cogumelos. E não deixe de procurar um profissional nutricionista para acompanhar esse planejamento e realizar exames bioquímicos para avaliar se está tudo bem”, finaliza a professora.

Veja Também