Cuidados: Luz emitida por celulares, notes e tablets provoca envelhecimento precoce, manchas, rugas e flacidez

Postado em: 07-04-2022 às 09h34
Por: Redação
Especialistas dizem que uso excessivo de eletrônicos exige cuidado com a pele | Foto: Reprodução

Por Elysia Cardoso

O aumento da exposição a luz visível e a luz azul presente nos dispositivos eletrônicos, causam diversos problemas como o envelhecimento precoce, a hiperpigmentação ou aumento do melasma. Inflamação cutânea, secura, rugas no pescoço e a flacidez no rosto, também podem se manifestar. É o que alerta a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Alessandra Serquiz.

A luz azul que penetra na camada mais profunda da pele, ocasiona o envelhecimento da pele e a perda de colágeno e elastina, com o consequente aumento das rugas. Já a hiperpigmentação é o escurecimento da pele pelo aumento da produção da melanina, que provoca manchas e tons irregulares no rosto. “Ao receber grandes quantidades de luz, a pele fica produzindo mais melanina, o que gera o aumento das manchas”, alerta a dermatologista.

De acordo com a dermatologista, assim como os olhos ficam irritados com altos índices de exposição à luz, esse excesso pode causar ainda a inflamação cutânea e secura. “Embora menos visíveis, as camadas externas de nossa derme sofrem com essa superexposição e reagem à agressão por inflamação e ressecamento”.

Em entrevista Alessandra ressalta que os cuidados faciais devem seguir a mesma rotina do dia-a-dia fora de casa: limpar, tonificar, hidratar e proteger, pela manhã e repetidos à noite, com exceção da proteção, e o acréscimo de um creme ou sérum de vitamina C. “Os principais cuidados são a manutenção do uso do protetor solar mesmo em casa, associado a um hidratante e antioxidante para combater a formação de radicais livres, como a vitamina C e E por exemplo”, explica a dermatologista, acrescentando que ingerir bastante água também é fundamental para uma pele saudável.

Outro ponto importante a ser observado neste período de home office é para evitar o ‘text neck’, traduzindo ‘pescoço de texto’, que designa a posição que permanecemos ao acessar o celular, tablet ou notebook, que tem como consequência as indesejadas rugas no pescoço. “A única forma de evitar essas linhas, no entanto, é com reeducação postural. Quando estiver no computador, evite usá-lo no colo e sempre tente suspendê-lo de forma que a tela esteja na linha dos olhos, evitando inclinação do pescoço”.

Como prevenção o dermatologista Thiago Cunha, afirma que o principal método é reduzir o tempo que você passa na frente desses dispositivos. “Estudos mostram que chegamos a ficar expostos à luz azul sete horas por dia. Apesar de não haver ainda um limite de segurança, pesquisas sugerem que após quatro horas de exposição os danos já acontecem.”

Porém se não é possível evitar passar tanto tempo na frente da luz do computador e do celular, o especialista recomenda a utilização de ativos antioxidantes e protetores solares que servem para bloquear os danos causados pela iluminação. Além disso, também existem produtos específicos para proteger da ação dos dispositivos eletrônicos que emitem radiação azul.

Corpo também pede cuidados

Alessandra alerta que, além da atenção com a face, não se deve esquecer dos cuidados com o corpo. A recomendação é reeducação postural, evitando a hiperflexão do pescoço por longos períodos. 

“De 30 em 30 minutos tente alongar a coluna, puxar e segurar o joelho contra o peito, alongar os braços para cima, frente e lados, procure andar por alguns segundos e depois continue no seu trabalho. Para os que podem reduzir o tempo gasto em frente às telas dos aparelhos eletrônicos, faz bem para a pele e também para a mente, principalmente nesse período de muita informação”, orienta Alessandra.

Compartilhe: