Santarém (PA) será foco da Feira Internacional de Turismo da Amazônia (FITA)

Postado em: 03-05-2022 às 09h12
Por: Redação
Santarém é conhecida como uma cidade que mantém suas tradições com a mesma força que preserva suas belas paisagens | Foto: Reprodução

Por Lanna Oliveira

Belém (PA) recebe entre os dias 5 e 8 de maio a 10ª edição da Feira Internacional de Turismo da Amazônia (FITA). O evento é uma iniciativa estadual que deve reunir mais de 50 expositores de destinos do Pará e da Amazônia brasileira. O tema deste ano é ‘Turismo Inteligente: Conexões e Experiências Sustentáveis’, sendo Santarém o município escolhido como ‘destino anfitrião’ deste ano, ou seja, apesar de ocorrer em Belém, o evento vai enfatizar a região e as potencialidades da cidade de Santarém (PA).

O norte do Brasil abriga verdadeiros paraísos de natureza praticamente intacta. É o caso de Santarém, no Pará. Uma cidade que mantém suas tradições com a mesma força que preserva suas belas paisagens. Prepare-se para praias de água doce incríveis, com um pôr-do-sol de tirar o fôlego e um dos principais espetáculos naturais: o encontro do Rio Amazonas com o Tapajós, em que as águas não se misturam. Conhecida como Pérola dos Tapajós, na cidade você também pode desfrutar e se surpreender com a biodiversidade da Amazônia.

A história de Santarém remonta a um grande processo de imigrações que deixou diversas heranças culturais que, unidas, formam a identidade do município e do povo santareno. A cidade foi fundada no dia 22 de junho de 1661 pelo padre português João Felipe Bettendorf durante missões jesuítas na região. Nesta data ainda não havia o formato de cidade nem o nome que conhecemos hoje, mas o dia em que o padre instalou a missão na aldeia dos Tapajós foi o que deu início a formação do município.

Santarém é hoje a terceira maior cidade do estado do Pará. Apesar do desenvolvimento, não perdeu os costumes e as tradições graças à localização privilegiada. A cidade é um local simples, tem boa infraestrutura turística, mas não espere encontrar restaurantes e hotéis de luxo. Por lá, o melhor é aproveitar a cultura local, a hospitalidade das pessoas e, principalmente, a natureza. Entre os pontos que valem a visita estão as praias de Alter do Chão, o encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas, a Floresta Nacional de Tapajós, Praia de Ponta de Pedras, entre outros.

Alter do Chão

Alter do Chão, no Pará, ganhou fama mundial depois de ter sido eleita pelo jornal The Guardian como um dos mais belos destinos entre as praias no Brasil, à frente de paraísos como Fernando de Noronha. Inusitado? Sim! Mas a verdade é que o destino tem mesmo praias dignas dos mais esplendorosos cenários do País e, vale ressaltar, tudo cercado pelo intenso verde amazônico e regado a muita água doce dos rios Tapajós e Arapiuns. Um marco da viagem são as praias paradisíacas que valem ser visitadas por meio de passeios de barco. Conhecer as comunidades ribeirinhas e experimentar as iguarias culinárias também fazem parte no mergulho cultural.

Encontro dos rios Tapajós e Amazonas

Bem de frente para a cidade de Santarém, acontece o encontro de dois dos mais belos rios do Brasil. Os grandiosos Rio Tapajós e Rio Amazonas correm por caminhos distintos em terras paraenses até que se juntam em uma bela disputa, onde é possível ver a nítida diferença das águas de cada um deles. As águas barrentas do Amazonas se juntam à tonalidade de azul profundo do Tapajós em um lindo cenário. Para quem gosta de experiências mais completas, o ideal é fazer um passeio de barco que chega até o ponto exato do encontro das águas. Lá você poderá mergulhar nos dois rios e sentir a nítida diferença entre eles.

Floresta Nacional de Tapajós

A Floresta Nacional do Tapajós é uma das unidades ecológicas mais bem preservadas do Brasil. A entrada da floresta não fica em Santarém, mas o acesso pode ser requisitado na cidade, com uma viagem de aproximadamente 1h30. Chegando lá, é possível fazer trilhas e conhecer o artesanato local. Quem visita a região e nunca teve a oportunidade de ver uma floresta de ambiente amazônico não pode perder a chance de caminhar entre as árvores grandiosas dessa reserva com mais de 527 mil hectares. O passeio vai muito além da observação da natureza, você sairá de lá carregado com o conhecimento dos povos da floresta.

Centro Cultural João Fona

Vários cantos de Santarém guardam fatos curiosos, engraçados, que, muitas vezes, passam despercebidos. Essas histórias podem ser vivenciadas no Centro Cultural João Fona, Patrimônio Cultural. Em cada sala, peças históricas e de grande simbolismo para Santarém. Nelas estão expostas peças arqueológicas, como peixes fossilizados, peças inteiras e fragmentos de cerâmica de várias fases da cultura tapajônica, peças do artesanato indígena, imagens esculpidas em madeira, jornais, livros, móveis utilizados no Fórum, na antiga Câmara e Prefeitura, além da coleção de moedas antigas e utensílios usados no castigo dos escravos, entre outros.

Compartilhe: