Theo Bial lança o álbum ‘Vertigem’ com a participação de Pedro Bial e outras parcerias

Postado em: 09-05-2022 às 11h29
Por: Elysia Cardoso Ferreira
Artista une passado e presente na sua obra e utiliza suas referências para trazer originalidade | Foto: Reprodução

Theo Bial é um cantor da nova geração. Mas Theo canta Bossa Nova, canta Samba, canta Jazz. Com um olho no retrovisor e outro no vasto horizonte à sua frente, o artista une passado e presente na sua obra e utiliza suas referências para trazer um som com personalidade própria. Em ‘Vertigem’, seu álbum de estreia, que chega às plataformas no dia 6 de maio, Theo mostra como o mergulho na história da MPB e a aproximação com a boemia carioca vêm moldando a sua identidade.

Já em seu primeiro disco, o artista conta com a parceria de grandes nomes da música brasileira como Mart’nália (em ‘Remelexo’, faixa lançada em dezembro) e Moacyr Luz (na inédita ‘Beijo e Sal’), além de seu amigo de infância Gabriel Miranda, que contribui nas músicas ‘Um poema pra te dar’, ‘Remelexo’ e ‘Vertigem’, que dá nome ao projeto.

Theo conta um pouco sobre o processo de composição da música, que para ele simboliza o álbum como um todo: “Vertigem surgiu do violão, numa manhã, dedilhando alguns acordes. A melodia foi vindo e deixei de lado o violão por um momento. Alcancei o caderno, uma caneta e comecei a escrever as notas para não me esquecer. Melodia pronta, já me agradava, mas ainda não tinha nem a harmonia, nem a letra”, conta. 

O artista relembra que escreveu a música durante a madrugada, chegando em casa cansado. “Mostrei para o meu parceiro de composição, Gabriel Miranda, ele gostou. A partir disso eu comecei a escrever o restante, trocando mensagens com o Gabriel. Por último, entrou o violão. Eu que sempre comecei a compor pelo violão, agora terminei por ele. Essa música simboliza o álbum, o período de construção do trabalho, o carinho por todas as etapas, o amor que me faz vertiginar, assim como a música”.

O projeto marca também a estreia de Pedro Bial como cantor. O apresentador e jornalista gravou ao lado do filho a música ‘Azul’, sendo a segunda parceria feita pelos dois (a primeira foi em ‘Mais uma Vez’, do EP ‘Pra Sonhar’, de 2021). No álbum Theo uniu forças com o produtor musical Celso Fonseca, que assina o trabalho. 

Além do violão de Theo Bial, guitarra e teclados de Celso Fosenca, a banda é integrada por músicos com décadas de experiência: Alexandre Cavallo, no baixo; Flávio Santos, na bateria; Junior Moraes, na percussão; Jorjão Barreto, no piano eletrônico e a participação especial de Jaques Morelenbaum no violoncelo. A produção fonográfica é de Luisi Valadão. O selo que lança o álbum é a Lupa +, que acaba de chegar no mercado fonográfico. 
Durante a pandemia, Theo buscou se reinventar e mergulhou de cabeça nas lives, chamando convidados para dividir a cena. Pedro Bial foi um deles, com direito a lágrimas de orgulho pelo filho. Neste cenário de incertezas, veio uma nova safra de canções, que ganharam forma e texturas refinadas em estúdio e agora se transformam em seu primeiro álbum. ‘Vertigem’ marca uma nova fase para o artista carioca de voz serena, que vivencia buscas e descobertas. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: