‘A Treta’ dentro e fora dos ringues: Sarah Frota no ‘Papo Xadrez’

Postado em: 25-05-2022 às 09h38
Por: Redação
Um novo episódio vai ao ar ao vivo todas segundas-feiras, às 19h e todos os bate-papos estão disponíveis no canal Youtube ‘Papo Xadrez’ | Foto: Pedro Pinheiro

Por Guilherme de Andrade

Na última segunda-feira (23), os estúdios do jornal ‘O Hoje’ receberam a lutadora e professora Sarah Frota Lima para a 14° edição do ‘Papo Xadrez’. Com mais de uma hora e meia de transmissão ao vivo, Sarah contou de sua trajetória com o jiu-jitsu e com o MMA, falou da polêmica envolvendo sua suspensão por doping e também do trabalho social que desenvolve em Goiânia com crianças e adolescentes da periferia. Você pode acessar o episódio completo pelo canal YouTube ‘Papo Xadrez’.  

No início da transmissão, ‘A treta’ conta um pouco de suas origens. Nascida em Brasília, porém criada em Goiânia, hoje Sarah conta “eu falo que eu sou de Goiânia, eu represento Goiás”. A auto-proclamada “bairrista” conta que a maior parte de sua infância e adolescência aconteceu no Jardim América, onde sua avó morava. Nessa região aconteceram suas primeiras aulas de capoeira, muay-thai e jiu-jitsu.

Sarah diz que foi se dedicar ao jiu-jitsu, estilo que domina, já tarde. O MMA veio um pouco depois, aos 29 anos. Apesar da estreia ‘tardia’, a atleta se destacou, acumulou dezenas de títulos em competições de artes marciais e de MMA, e na sequência se viu no octógono do UFC. “O dia que eu lutei no UFC foi como tocar no Rock in Rio”, afirma a lutadora ao falar sobre as emoções dos ringues. 

Foto: Pedro Pinheiro

Tema que surgiu durante a transmissão e que logo tomou o foco foi sobre o trabalho social que Sarah desenvolve junto da organização ‘SeteOrg’. A lutadora atua como professora de Jiu-Jitsu e boxe para mais de 110 alunos no setor Madre Germana. “Eu vejo o esporte como instrumento de transformação social”, sintetiza suas inspirações. Hoje, ela se reafirma como professora, mas sem nunca deixar o esporte de lado: ‘A Treta’ finaliza dizendo: “eu voltei para cá para colocar Goiânia em foco de novo”.

Ao falar da importância do trabalho que realiza junto dos jovens da periferia da capital goiana, Sarah acaba por fazer uma denúncia. Cerca de 400 jovens que têm aulas na instituição em que ela ensina não estão comparecendo já há duas semanas por falta de transporte, que deveria ser fornecido pela prefeitura. ‘A Treta’ conta que todas as formas de contato com o prefeito já foram feitas e não deu em nada. “Não tem jeito, vamos ter que entrar com ação no Ministério Público”, lamenta a atleta e professora. 

Na voz dos apresentadores 

Yago Sales, um dos responsáveis pela condução do Papo, após a transmissão resumiu: “Foi uma surpresa muito positiva para mim esse encontro com Sarah”. O apresentador conta que já esperava conhecer mais sobre o mundo da luta, mas que o trabalho social da ‘Treta’ tomou o foco da conversa. “Saber que essa mulher já viajou o mundo e, depois de tudo que ela alcançou, decidiu voltar para sua cidade natal com um projeto tão incrível é de uma inspiração sem tamanho para mim”, concluiu Yago. 

Colega de Yago, o apresentador Felipe Cardoso comemora ao fim do episódio dizendo que  “a Treta foi a primeira convidada do ramo do esporte que veio ao podcast e abrimos esse caminho com chave de ouro”. Felipe diz ter se interessado mais pelo mundo da luta esportiva depois do encontro, e também elogiou o comprometimento social que a atleta e professora demonstrou durante o bate-papo. Ele finaliza seu comentário dizendo: “Sarah é uma mulher forte, em todos os sentidos, e conversar com alguém assim é sempre um prazer, uma lição”.

Nos últimos episódios

O ‘Papo Xadrez’ alcançou sua 14° edição com a lutadora Sarah Frota Lima, conhecida também como ‘A Treta’. Com mais de 25 horas de transmissão ao vivo, o podcast já acumula discussões sobre política, moda, esporte, música e muito mais. Seja um assunto polêmico e sensível, seja um assunto leve e agradável: os apresentadores Felipe e Yago trazem à tona aquilo que o público quer ouvir e o que precisa ser dito, respeitando sempre o limite de uma conversa agradável e respeitosa. 

No último episódio, estiveram nos estúdios do jornal ‘O Hoje’ as ativistas pela causa trans Amanda Souto e Beth Fernandes. A advogada e a psicóloga, respectivamente, trouxeram na véspera do dia internacional de combate à homofobia, bifobia e transfobia, suas experiências e vivências enquanto mulheres trans para discussão. Suas trajetórias enquanto profissionais, mulheres trans e ativistas foram prato cheio para o ‘Papo Xadrez’. 

No décimo segundo episódio do podcast, recebemos o cantor e preparador vocal Adhemar Rocha. Falando sobre sua carreira enquanto artista gospel, vemos que seu trabalho ultrapassa o 1 milhão de visualizações nas plataformas de streaming, além de participações com grandes nomes da música como Léo Santana e Israel Novaes. Já na preparação vocal é difícil enxergar onde ele não está: entre alguns de seus clientes estão Maiara e Maraísa, e Zé Neto e Cristiano. Foi tanto assunto que a transmissão quase ultrapassou a marca das três horas.

Compartilhe: