21º edição da Goiânia Mostra Curtas conta com homenagem premiada à Karine Teles

No encerramento, domingo (10), às 19h, serão anunciados os vencedores desta edição

Postado em: 05-07-2022 às 09h17
Por: Lanna Oliveira
No encerramento, serão anunciados os vencedores desta edição | Foto: Divulgação

Exaltar o cinema brasileiro é uma obrigação cada vez mais fácil de ser cumprida por quem respira cultura, já que vemos alta qualidade em cada produção feita em território nacional. O Goiânia Mostra Curtas tem esse intuito, incentivar, fomentar, reconhecer e fortalecer a cadeia produtiva audiovisual. Isso inclui dar visibilidade aos títulos, formar público, qualificar novos profissionais, gerar oportunidades de negócios para a área, empregos e renda. Com um total de 88 filmes, representando 18 estados brasileiros e o Distrito Federal, o evento ocorre a partir de hoje (5).

Em sua 21ª edição, o Goiânia Mostra Curtas se firma como uma das principais iniciativas dedicadas aos curtas-metragens. Ele segue impulsionando o cinema brasileiro de forma virtual e gratuita até o dia 10 de julho. Além da programação, o evento apresenta uma homenagem à premiada atriz, roteirista e diretora carioca Karine Teles e as seções competitivas Curta Mostra Brasil, Curta Mostra Animação e Curta Mostra Goiás, além da 20ª Mostrinha, Curta Mostra Especial: Rasteiras Imaginárias, uma masterclass, debates e outras atividades formativas.     

A cerimônia de abertura ocorre nesta terça-feira (5), às 20h com transmissão ao vivo no youtube.com/icumam. Ela é seguida, às 21h30, por um pocket show da banda Francisco, El Hombre, em performance acústica. O quinteto produz canções que misturam elementos do Brasil e do México, além de outros países da América Latina. O resultado dessa mistura envolve o pop, o funk, a MPB e a música latina. O pocket show inclui os sucessos ‘Triste, Louca ou Má’ e ‘Olha a Chuva’.

Continua após a publicidade

“Após 20 anos de existência, o desafio da GMC é existir de maneira ativa, criativa e financeiramente viável para dar continuidade ao trabalho que colabora para o fortalecimento da cadeia produtiva audiovisual, para a visibilidade das produções brasileiras, a formação de público, a qualificação de novos profissionais, bem como para a geração de negócios, emprego e renda”, diz Maria Abdalla, diretora geral e produtora da mostra. O que oportuniza dar o foco para a diversidade social, política e étnica existente na cultura brasileira por meio das telas.

Este ano, o corpo de curadores do festival foi formado pelo diretor, pesquisador e professor de audiovisual Rafael de Almeida (Curta Mostra Brasil), pelo programador, pesquisador e crítico de cinema Fábio Rodrigues Filho (Curta Mostra Goiás), pelo diretor e realizador especializado em animação Cesar Cabral (Curta Mostra Animação), pela escritora, documentarista e pesquisadora da infância Gabriela Romeu (20ª Mostrinha) e pela curadoras e programadoras de cinema Talita Arruda e Melina Bomfim (Curta Mostra Especial).

Veja Também