Devido baixas temperaturas em Goiás, algumas pessoas sofrem com fibromialgia

Segundo a psicoterapeuta Jordana Ribeiro, especialista na doença, neste período os cuidados devem ser redobrados

Postado em: 11-07-2022 às 09h19
Por: Redação
Segundo a psicoterapeuta Jordana Ribeiro, especialista na doença, neste período os cuidados devem ser redobrados | Foto: Divulgação

As temperaturas em Goiás estão, na contramão do que estamos acostumados, mais baixas e segundo o Climatempo, a frente fria apresenta temperatura mínima de 16ºC. Alerta para pessoas que sofrem com fibromialgia, já que as baixas temperaturas pioram as dores crônicas causadas pela doença. A fibromialgia é considerada a segunda causa mais frequente de consultas médicas à reumatologistas e, de acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, entre 9 e 26% dos pacientes estão afastados do trabalho por incapacidade provocada pela dor.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a fibromialgia é uma síndrome que engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição e distúrbios do sono. Trata-se de uma forma de reumatismo associado à sensibilidade do indivíduo frente a um estímulo doloroso. Ainda de acordo com o MS, não existe um método de prevenção comprovado e especialistas indicam a atividade física como auxiliar para o tratamento. A síndrome afeta cerca de 5% da população mundial e mais de 4 milhões de brasileiros.

Segundo a psicoterapeuta Jordana Ribeiro, especialista na doença, as baixas temperaturas trazem prejuízos para quem sofre de fibromialgia. “Para manter o corpo aquecido no inverno, o organismo enrijece a musculatura a fim de reter calor. Essa tensão dos músculos agravam as dores de quem sofre com a síndrome”, explica. Ela continua dizendo que por isso, neste período, os cuidados devem aumentar e o tratamento intensificado. Jordana afirma que existem muitas opções que podem contribuir.

Continua após a publicidade

Entre as mais diversas indicações, a psicoterapeuta lembra que no inverno é importante que as pessoas que possuem a doença se mantenham aquecidas, principalmente os pontos de dores. Além das roupas que aqueçam as extremidades, bebidas quentes como chás são grandes aliados na hora de manter o corpo quente. Para evitar o uso indiscriminado de remédios para dores, Jordana indica outra ferramenta natural que pode ajudar. “O uso do óleo essencial de copaíba também é de grande ajuda”, diz.

E claro, ela enfatiza a importância de manter o tratamento em qualquer época e em quaisquer condições, porque será isso que ajudará a longo prazo. “O tratamento composto por atitudes multidisciplinares tem que continuar. Manter uma boa rotina de exercícios físicos, alimentação saudável, controle de sobrepeso e principalmente entender a raiz emocional que envolve a doença aplicando técnicas de acordo com a mensagem emocional no corpo que a fibromialgia gera é primordial”, finaliza Jordana Ribeiro. A psicoterapeuta tem o intuito de ajudar as pessoas acometidas com essa doença a voltarem a ter uma vida com qualidade.

A fibromialgia é uma síndrome, de caráter crônico e etiologia desconhecida, caracterizada por dor musculoesquelética que afeta várias áreas do corpo. Em função da inexistência de alterações orgânicas, a presença de fatores psicológicos como estresse, ansiedade, depressão, inassertividade e crenças irracionais parecem influenciar seu início e manutenção. Buscar métodos que reduzam o nível de estresse; a ansiedade e depressão e o desenvolvimento da assertividade, é um ponto importante no tratamento. Há muitas controvérsias quanto à etiologia desta doença, sendo necessário a realização de novos trabalhos verificando o tipo de intervenção mais eficaz. Mas com as dicas da profissional Jordana Ribeiro, é possível encontrar melhor qualidade de vida.

Veja Também