Exposição ‘ReviraVolta’ apresenta novo olhar sobre Coleção Ema Klabin

Obras importantes que nunca chegaram a ser emolduradas serão expostas e outras que estavam dispostas em locais de pouca visibilidade

Postado em: 24-09-2022 às 09h19
Por: Redação
Página Iluminada de um Livro de Canções (1900 – Falsificador Espanhol) | Foto: Divulgação

De 24 de setembro a 16 de dezembro, a Casa Museu Ema Klabin promove a exposição ‘ReviraVolta’, com curadoria de Paulo de Freitas Costa. O público poderá apreciar obras importantes que nunca foram expostas e ver partes da coleção reposicionadas pelos ambientes da casa museu. “De um lado, buscamos arranjos inéditos, que tragam novos significados e permitam uma compreensão mais ampla da coleção. Por outro, em alguns pontos da casa, retomamos a distribuição exatamente como era no final da vida de Ema, para que possamos avaliar, junto ao público, as escolhas feitas na época da abertura da casa”, explica o curador da exposição, Paulo Costa, que também foi responsável pela catalogação e pesquisa da Coleção Ema Klabin.

Várias são as peças que nunca foram expostas ao público nesses 15 anos de abertura da Casa Museu. Como é o caso de uma rara ânfora de alabastro que recentemente foi restaurada, pois havia sido quebrada em várias partes quando Ema Klabin se mudou para a casa da rua Portugal. O público também poderá conferir, pela primeira vez, duas folhas de pergaminho que revelam a criatividade de um dos maiores falsificadores da história, o Falsificador Espanhol, cuja verdadeira identidade nunca foi revelada. Suas obras estão espalhadas em grandes museus pelo mundo, comercializadas e leiloadas por valores semelhantes aos das obras autênticas. 

Uma exposição online dedicada ao Falsificador Espanhol em 2021 ainda está disponível no site da Casa Museu, mas agora será possível ver as obras no quarto principal do espaço. Outras obras que devem chamar a atenção do público são gravuras raras como a litogravura ‘Fauno Músico N.3’, de um dos mais importantes artistas do século XX, o espanhol Pablo Picasso. Além da gravura ‘As Tábuas de Moisés’ (séc. XX) da artista Isabel Pons e as gravuras ‘Enterrar y Callar’ e ‘Caridad’ da série ‘Os Desastres da Guerra’ (c.1810) de Francisco de Goya, que trazem um relato dos horrores da invasão napoleônica na Espanha.

Continua após a publicidade

Ganhando destaque

A residência onde viveu Ema Klabin de 1961 a 1994 foi construída pelo engenheiro-arquiteto Alfredo Ernesto Becker em meados dos anos 1950, para abrigar a Coleção de Ema Klabin e foi decorada pelo célebre Lotteringhi Della Stufa. Mas a coleção dobrou de tamanho até o final da vida da colecionadora e muitas obras importantes acabaram sendo dispostas em locais de pouca visibilidade na casa. Com a exposição ‘ReviraVolta’, muitas dessas obras ganharão destaque na casa.

‘Rio de Janeiro’ (1923), de Tarsila do Amaral, deixa o quarto de hóspedes para entrar na galeria principal, ao lado da ‘Vista de Olinda’ (c. 1650), de Frans Post. A tela ‘No Campo’ (À la campagne, 1925), de Marc Chagall, deixa a sala de música para decorar o quarto principal. Até mesmo o Jardim da Casa Museu Ema Klabin, projetado por Roberto Burle Marx, vai participar da ‘ReviraVolta’. A escultura japonesa em bronze fundido ‘Eva’ (1964), do artista Kakei Goro, entra na casa para decorar o pátio interno. A exposição ‘ReviraVolta’ conta com o patrocínio da Klabin S.A.

Bazar da Cidade na Casa Museu Ema Klabin

No próximo final de semana, a Casa Museu Ema Klabin recebe também, em seu jardim a segunda edição do ‘Bazar da Cidade’, dando continuidade à parceria que prevê a realização de uma edição por mês até dezembro. Em agosto, na primeira edição, quase 2,5 mil pessoas estiveram na casa museu conferindo os produtos autorais do Bazar: roupas, acessórios, artigos de design e arte. O público terá agora uma nova oportunidade para conhecer produtos originais, valorizando pequenos produtores, artesãos, povos indígenas e refugiados, além de se deliciar com a gastronomia de diferentes origens. O ‘Bazar da Cidade’ funciona neste sábado (24), das 11h às 20h, e no domingo (25), das 11h às 18h.

Veja Também