‘Princesinha do Sul’: ‘Capital do Cacau’ ou ‘Berço de Jorge Amado

Todos os nomes refletem um aspecto característico de Ilhéus, que atrai turistas de todo Brasil

Postado em: 07-05-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Todos os nomes refletem um aspecto característico de Ilhéus, que atrai turistas de todo Brasil

GABRIELLA STARNECK*

Continua após a publicidade

Belas praias, Centro Histórico exuberante, plantações de cacau, opções de atividade diurnas e noturnas: esses são alguns dos atrativos de Ilhéus, município brasileiro da Bahia, localizado a cerca de 330 quilômetros de Salvador. Cidade com o mais extenso litoral entre os municípios do estado, Ilhéus é reconhecida por diferentes nomenclaturas: ‘Princesinha do Sul’, ‘Capital do Cacau’, ‘Berço de Jorge Amado’ e até ‘Terra da Gabriela’ são alguns dos nomes dados a cidade.

Retratada nos famosos romances de Jorge Amado, como Gabriela, Cravo e Canela e Terras do Sem Fim, o escritor baiano eternizou as belezas de Ilhéus – não é a toa que um dos nomes da cidade traz o nome do escritor como uma espécie de homenagem. Por ser um importante ponto turístico da Bahia, Ilhéus possui uma boa infraestrutura para os turistas que visitam o local, sem falar nas várias opções de atividade que a cidade oferece aos visitantes – tanto para os que querem descansar em locais mais tranquilos, tanto para os que optam por ambientes mais movimentados e ‘festivos’. 

História

Ilhéus foi fundada em 1536 como ‘Vila de São Jorge dos Ilheos’, mas só foi elevada a cidade no ano de 1881. A região ficou muito conhecida por conta das plantações de cacau – que permitiram à cidade atingir seu apogeu no início do século 20. Na época, Ilhéus era bem movimentada, com cabarés, clubes noturnos e até mesmo casinos que serviram de inspiração para o cenário dos romances de Jorge Amado. 

A grande movimentação de capital ocorria por causa da produção e exportação do cacau, que deu origem as peculiaridades no desenvolvimento da região, e que se mantém até hoje. As lembranças da época estão eternizadas em alguns pontos turísticos da região, como o Bar Vesúvio e o Cabaré Bataclan, presentes nas obras do ilustre filho adotivo Jorge Amado. 

O que fazer

Opções de lazer não faltam para quem deseja aproveitar Ilhéus – tanto no período diurno quanto no noturno. Ir à praia, ver o pôr do sol e visitar os atrativos culturais da cidade são bons atrativos para quem prefere aproveitar o dia debaixo de sol e sem gastar muito. Já para quem prefere a vida noturna, não se preocupe! Embora Ilhéus seja considerada bastante tranquila para uma cidade turística, ela também oferece atividade ‘movimentadas’. 

Há opções para quem quer agitar ou apenas curtir um clima romântico. A Praia dos Milionários, por exemplo, atrai pessoas que querem algo mais animado, pois oferece música ao vivo nas barracas. No Centro, os pontos de encontro são os bares com videokê. Já no Pontal, os pubs com shows de voz e violão são indicados para quem procura um programa a dois.

Ilhéus oferece aos turistas uma série de opções que levam os visitantes a fazerem uma viagem início do século 20, período do ciclo de cacau. As lembranças dessa época estão eternizadas nos belos casarões com fachadas neoclássicas do Centro Histórico de Ilhéus, que hoje abrigam espaços culturais, teatros e restaurantes. Sem falar nas fazendas de cacau e na Casa de Cultura Jorge Amado, que funciona na residência onde viveu o consagrado escritor. O casarão, construído pelo Coronel João Amado, pai do escrito Jorge Amado, hoje é um espaço aberto à visitação que permite a visualização da trajetória pessoal e literária do autor, por meio de objetos pessoais e de exposição fotográfica sobre sua trajetória literária.

Já a Catedral São Sebastião, uma das mais bonitas igrejas do estado, é outro atrativo cultural para os turistas. O local, inaugurado em 1967, reúne em sua fachada detalhes minuciosos do estilo neoclássico, como vitrais artísticos, abóbadas e colunas. Em contraste com esse estilo arquitetônico do século 20, o interior da igreja é discreto. A fachada do Teatro Municipal de Ilhéus também continua a ser a mesma da época de sua inauguração, em 1932. No entanto a parte interna foi completamente revitalizada, oferecendo galeria de arte e programações culturais.

As fazendas de cacau de Ilhéus também atraem muitos turistas, já que oferecem visitas guiadas que apresentam todo o ciclo do fruto, desde sua plantação até os processos realizados após a colheita, fundamentais para a produção dos chocolates. Durante o tour geralmente os visitantes podem fazer degustações e ou refeições tipicamente baianas. As fazendas mais procuradas são Provisão, Yrerê e Primavera. Sem falar na Fabrica de Chocolate Caseiro, primeira fábrica de chocolate artesanal do Norte/Nordeste que possui uma construção que imita a arquitetura suíça.

Um atrativo cultural que os turistas também não podem deixar de conhecer é Circuito Jorge Amado. No Centro Histórico, a vida e obra do escritor baiano podem ser conhecidas em um roteiro feito a pé, com início na Casa de Cultura. A um quarteirão está o Bataclan, antigo cabaré e cassino que foi muito frequentado pelos coronéis no período do ciclo do cacau. O local entrou em decadência com a proibição do jogo no país, mas foi reaberto em 2004 e abriga bar e restaurante, além de um minimuseu em meio aos cenários do velho bordel. 

Outro ambiente típico desse período do século 20, e que integra o Circuito Jorge Amado, é o Bar Vesúvio, aberto por volta de 1920 por dois italianos. O local ficou conhecido por causa do romance Gabriela e Cravo e Canela. Ali, não tem quem não tire uma foto junto à estátua do autor. Depois de mudanças de dono e de nome, recuperou o charme do velho Vesúvio em 2000, quando foi totalmente reformado em busca das características originais – dentre elas, as mesas na calçada. 

Atrativos naturais

As reservas de Mata Atlântica de Ilhéus deixam o cenário da cidade ainda mais deslumbrante. Protegendo o litoral ou emoldurando trilhas, lá está a floresta e toda a sua biodiversidade – incluindo o cacau que deu tanta fama deu à cidade. Por possuir o mais extenso litoral entre os municípios da Bahia, Ilhéus oferece aos turistas uma série de praias, que estão divididas em urbanas, litoral sul e do norte. A maioria delas é repleta de quiosques e cabanas, oferecendo aos turistas infraestrutura necessária para quem deseja apreciar o belo mar. 

As praias do litoral Sul, as mais badaladas, oferecem boas ondas para os surfistas. As praias mais procuradas são as do litoral Sul, como Back Door – sede de campeonatos estaduais – e Batuba, ambas no distrito de Olivença. Na direção oposta, as praias do Marciano e do Norte são as preferidas dos adeptos do esporte. Já ao Norte, a Mata Atlântica acompanha quase toda orla, bastante tranquila. Entre as praias urbanas, a do Centro destaca-se pelo movimento na ciclovia e nas quadras poliesportivas.

Para quem não curte tanto o mar, Ilhéus também possui rios que completam o visual da cidade ao formarem cachoeiras e quedas para a prática do rapel. Um dos cenários mais concorridos é o do Salto do Apepipe, com 50 metros de altura. Inserido no complexo da Lagoa Encantada – área de preservação ambiental – é ‘point’ também dos praticantes da tirolesa. Neste local, além da paisagem formada por um espelho d’água, cercado por fazendas e mata nativas, as ilhas flutuantes despertam a curiosidade do turistas – elas movem-se de um lado a outro da lagoa, a depender do vento.

Gastronomia 

E como já é bem sabido que nadar dá fome, é claro que Ilhéus também oferece aos turistas uma boa gastronomia. A combinação de ingredientes típicos das culturas indígena, portuguesa e africana deu origem à exótica e arretada culinária baiana, que está presente na maioria dos restaurantes de Ilhéus. O Centro da cidade, o bairro do Pontal e o distrito de Olivença, por exemplo, concentram bons estabelecimentos especializados em moquecas, bobós, pescados. 

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação 

da editora Flávia Popov 

Veja Também