‘PRIMEIRAMENTE’ discute questões sociais

Tema principal do espetáculo aborda engajamento político da situação atual do Brasil

Postado em: 10-05-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Tema principal do espetáculo aborda engajamento político da situação atual do Brasil

SABRINA MOURA*


Será realizada, nesta quinta-feira (10), a última apresentação do espetáculo Primeiramente no Teatro Sesc. O musical, que teve estreia em 2017, possui novos elementos, como a presença da atriz Isabella Naves, que fará intervenções poéticas e provocações com a plateia; a participação especial da rapper Mana Black, além dos vocais, guitarra e violão de Ingrid Lobo, bateria e percussão de Paula Bernardes. “É um show musical em que nós queríamos incrementar, porque a Ingrid Lobo – uma cantora já bem reconhecida aqui no meio artístico – e a Paula Bernardes são duas musicistas incríveis, que já tinham a intenção de montar um espetáculo com músicas que falassem sobre a situação do Brasil atual. Era muito importante para elas discutir essas questões políticas e sociais – o aumento da homofobia, do racismo, do machismo, a xenofobia – que são questões que precisavam ser tratadas pela arte”, comenta o diretor, Wellington Dias. “Elas já tinham essa ideia, e me acompanhavam pelos trabalhos artísticos, foi quando me procuraram com essa ideia de um show musical, que tivesse uma pegada com direção de teatro, um diferencial dos shows que elas já faziam. O trabalho usa a arte para poder discutir questões sociais que são urgentes e humanitárias”, completa o diretor.

Continua após a publicidade

No repertório, o musical traz uma diversidade de músicos e bandas brasileiras como Elza Soares, Chico Buarque, Mulamba, dentre outros, e conta com o apoio de Richardson Umbelino. No show, as artistas revisitam clássicos e novidades da MPB para refletir o que chamam de ‘retrocesso na sociedade’. 

As músicas foram escolhidas por seu teor de reflexão, não apenas político, mas também humano, já que os artistas se dizem preocupados com o ‘clima de ódio’ que parece estar tomando conta do mundo como um todo. “Seu tema principal é o engajamento político da situação que nós vivemos, contra a corrupção, a dilapidação do horário público, contra essa safadeza da política brasileira. Desde sempre – mas cada vez mais –, eu acho que, agora, quanto mais conhecimento temos, mais tomamos conhecimento desta bandidagem”, explica Wellington. “O nome Primeiramente parte da perspectiva ‘primeiramente fora Temer’, mas também aborda os temas de questões humanitárias, por meio de músicas de grandes cantores. Vamos ter a participação  da rapper goiana Mana Black, que fala em uma composição autoral sobre o poder feminino e a importância da mulher tomar o seu lugar”.

O show faz uma reflexão sobre os tempos em que vivemos e como a música pode ser bandeira de resistência e transformação social. “A principal mensagem que buscamos passar é que precisamos nos unir. Somos uma sociedade propositalmente partida e dividida. Temos visto a política como se torcêssemos para times de futebol, e nem nele o partidarismo é tão saudável. Hoje, temos uma história de direita e esquerda – onde ambas se odeiam – quem é da direita acha que os direitos adquiridos pelas minorias são inimigos. Na verdade, fazemos parte de uma sociedade que precisa se juntar para parar de ser explorada e enganada, entendendo que somos todos iguais. Vivemos em 2018 em uma sociedade de mentalidade da idade média. Nós ainda consideramos que as pessoas não têm seus direitos garantidos; somos contra a igualdade de gênero e social, achamos que é certo um juiz que mora numa cidade receber auxílio moradia, e ao mesmo tempo criticamos quem recebe a ajuda do governo para criar os próprios filhos”, opina o diretor. “Com isso, continuamos sendo enganados”, completa o diretor.

Segundo Wellington, o espetáculo, além de divertir, mostra o que o povo está dizendo: “Fizemos um show muito bonito que fala de paz e de união. Além desse afago na alma de participar do espetáculo, é importante que as pessoas o vejam para começar a ouvir o que a arte está dizendo. Nós pesquisamos muito para escolher essas músicas e montar esse show, ouvimos muitas comunidades; é um tema para todo mundo”.


O diretor

Wellington Dias é ator e diretor de teatro com 27 anos de experiência. Já é reconhecido por seus trabalhos em teatro. Ele acumula prêmios em diversos festivais pelo País, e, atualmente, é Conselheiro de Cultura de Goiás. Primeiramente é sua primeira incursão na direção de um show musical. “A questão de ser um musical é porque realmente tratava-se de um trabalho em que queríamos usar essas canções que tocam de uma forma direta, que as pessoas se identificam, e para gente é importante as pessoas se identificarem com o que estamos falando”, pontua.

Primeiramente teve sua estreia no ano passado e, segundo o diretor, embora a temática seja muito espinhosa, o espetáculo não está ali para atingir ninguém: ele tenta tocar as pessoas,por meio da arte, da música e da poesia, dizendo para elas que “somos iguais e precisamos nos unir”. “A recepção tem sido ótima. Já tivemos situações fortes, na plateia, de pessoas emocionadas por se reconhecerem em situações descritas. Tenho certeza de que quem for vai curtir músicas incríveis e ser tocado por esse show”, finaliza Wellington Dias.

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação 

da editora Flávia Popov


SERVIÇO

Musical ‘Primeiramente’

Quando: quinta-feira (10)

Onde: Teatro Sesc Centro

Horário: 20h

Entrada: R$ 8 (trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e dependentes), R$ 10 (conveniados), R$ 11 (meia-entrada) e R$ 22 (inteira) 

Veja Também