Peça Malak: teatro para deficientes

Postado em: 16-04-2021 às 08h30
Peça ‘Malak’ leva nesta sexta-feira (16), a pessoa com deficiência para o teatro virtual | Foto: Divulgação

Elysia Cardoso

O espetáculo inclusivo ‘Malak: Um
Outro Mundo é Possível, Tempo de Sonhos’ será transmitido pelo YouTube e
Facebook nesta sexta-feira (16), às 20h. Escrito e
dirigido por Renata Flores, a montagem adaptada para a internet aborda a
temática do autismo e é estrelada por artistas com e sem deficiência.

A atração gratuita conta a
história de um menino autista que não consegue socializar com seu grupo do
circo. Malak decide então viajar até a cidade grande em busca de aventura. Com
uma hora de duração, a peça conta com recursos de libras e audiodescrição.

Encenada pela primeira vez em
2016 com estudantes da Associação Legato de Canoas (RS), ‘Malak’ mescla música,
teatro, dança e circo. “A arte é uma ferramenta fundamental no processo de
inclusão onde se percebe que através da sensibilidade e da aptidão existe um
processo de desenvolvimento muito grande que é colocado e despertado neste
aluno artista”, explica a criadora Renata Flores da Silva. “O ‘Malak’
significa para nós um ápice dentro deste processo e desta produção artística
dentro do mundo da arte inclusiva, onde encontramos muitos artistas com
deficiência”, conclui.

A apresentação online também vai
render a produção de um curta dirigido por Victor Di Marco ‘O que Pode um
Corpo?’ sobre os bastidores do espetáculo. Cineasta com deficiência, Di Marco
também assina a direção de imagens da apresentação online. A promoção é da
Associação Legato e Companhia Trivoli, com financiamento do edital Sedac nº
09/2020 – Produções Culturais e Artísticas, com recursos da da Lei número
14.017/2020 (Aldir Blanc).

A companhia

Com a finalidade de oportunizar
este trabalho à comunidade foi criada em março de 2013 a Companhia Trivoli. A
Companhia Trivoli trabalha diretamente com a acessibilidade ao artista
deficiente e à Arte Inclusiva com projetos que visam a inclusão da Pessoa com e
sem Deficiência. É formada por crianças, jovens e adultos inclusos e não
inclusos da comunidade canoense, Porto Alegre e Região Metropolitana.

A iniciativa tem como
Coordenadora Renata Flores da Silva que é graduada em Música pela UFRGS e
especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional e Psicomotricidade
Relacional. Desde o ano de 1996 vem atuando como grande defensora da ‘Inclusão
da Pessoa com Deficiência através da Arte’.

Renata nascida em Porto Alegre
(RS) no dia 21 de outubro de 1972, iniciou estudos de piano aos três anos com a
professora Sofia Volkweiss e posteriormente no Instituto Palestrina com a
professora Gelci Brignol. Ingressou no curso de música da UFRGS em 1993 e
concluiu em 2000. Em 1995 iniciou no Instituto Pestalozzi como professora de
música. Foi preparadora vocal por quatro anos do Show Musical La Salle de 1994
a 1998 e também do Coral da ULBRA de 1998 a 2001.

Acessibilidade cultural

Nos últimos anos, o debate sobre
acessibilidade cultural vem se fortalecendo no cenário político e por meio de
redes da sociedade civil. A Lei Brasileira de Inclusão (LBI) assegura às
pessoas com deficiência o direito à cultura, garantindo o acesso a de conteúdos
em formato acessível.

O Estatuto da Pessoa com
Deficiência, como a LBI também ficou conhecida, entende a acessibilidade como
um direito que garante à pessoa com deficiência viver de forma independente e
exercer seus direitos de cidadania e de participação social. (Especial para O Hoje)

SERVIÇO

Espetáculo ‘Malak: Um Outro Mundo é Possível, Tempo de Sonhos’

Quando: sexta-feira (16), às 20h

Onde: (youtube.com/legatocanoas)

Com recursos de libras e audiodescrição

Por: Augusto Sobrinho
Compartilhe: