Tartaruga-aligátor, originária das américas do Norte e Central, é encontrada em Presidente Prudente

Não há registros da presença do animal na fauna brasileira, de acordo com Polícia Ambiental

Postado em: 28-08-2021 às 11h18
Por: Maria Paula Borges
Não há registros da presença do animal na fauna brasileira, de acordo com Polícia Ambiental | Foto: Reprodução

Uma tartaruga-aligátor foi encontrada em um acostamento próximo à represa do Rio Santo Anastácio em Presidente Prudente (SP), na última quinta-feira (26/08). O animal é originário das américas do Norte e Central e é considerado uma das maiores e mais agressivas espécies do mundo. De acordo com a Polícia Militar Ambiental, não há registros da presença do réptil no Oeste Paulista.

O animal foi encontrado e levado à sede da Polícia Ambiental. Conforme a autoridade, a força da mordida desta espécie pode ultrapassar 600 quilos, sendo assim mais forte que a de um leão que gira em torno de 400 quilos. Além disso, afirmaram que as mandíbulas da tartaruga-aligátor são tão fortes que com facilidade podem quebrar ossos humanos.

De acordo com a Polícia Ambiental, os indícios são que o animal foi abandonado, uma vez que não é originário da região. A tartaruga foi levada ao Zoológico da Cidade da Criança para receber os cuidados dos profissionais que trabalham no parque ecológico. Esse tipo de prática é considerado crime e qualquer informação sobre quem teria abandonado o animal deve ser dada a corporação pelo telefone (18) 3906-9200.

Continua após a publicidade

Conforme Érica Silva Pellosi, médica veterinária, essa espécie é exótica e não faz parte da fauna brasileira. “Ele é encontrado na América do Norte e América Central. Ele é um cágado, um animal semiaquático, que se alimenta de peixes, lagartos e pequenas aves. Ele é um animal extremamente perigoso, agressivo. A sua mordida é muito forte, podendo arrancar um pedaço de um membro”, explicou.

Veja Também