Traficante que autorizou morte dos meninos de Belford Roxo foi executado, diz polícia

Chefe do tráfico da comunidade Castelar pediu autorização a líder de facção para matar meninos, mas não disse que eram crianças.

Postado em: 10-09-2021 às 17h24
Por: Luan Monteiro
Chefe do tráfico da comunidade Castelar pediu autorização a líder de facção para matar meninos, mas não disse que eram crianças | Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Rio de Janeiro (PC-RJ) informou que o chefe do tráfico na comunidade Castelar foi executado como queima de arquivo no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio. Willer da Silva, o Estala, foi morto após pedir autorização para matar os meninos para o chefe da facção, mas não disse que se tratava de crianças.

“Os traficantes do Castelar mataram essas crianças autorizados pela cúpula da facção criminosa. O que a gente tem é que, quando pediu autorização para as chefias que estavam presas, do tráfico, para punir aquelas crianças, não foi falado que eram crianças”, explicou o secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski.

Os meninos Lucas Matheus, Alexandre e Fernando Henrique, desapareceram em Belford Roxo, em dezembro do ano passado. Segundo a polícia, a repercussão do crime não agradou outros integrantes da facção criminosa.

Continua após a publicidade

A morte de Estala foi ordenada por Wilton Quintanilha, o Abelha, outro chefe da mesma facção criminosa que estava preso. A execução aconteceu depois que a polícia começou a avançar nas investigações. Segundo a polícia, a morte das crianças foi por causa do furto de passarinhos.

Veja Também