Justiça autoriza condução coercitiva de advogado Marcos Tolentino à CPI da covid

Postado em: 13-09-2021 às 18h28
Por: Alice Orth
Tolentino é apontado como "sócio oculto" do FIB Bank. | Foto: Reprodução

O advogado e dono da Rede Brasil de Televisão (RBTV) Marcos Tolentino poderá ser conduzido coercitivamente para prestar depoimento à Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da covid-19, decidiu a Justiça Federal em Brasília nesta segunda-feira (13/09). Sua fala está marcada para esta terça (14).

Tolentino é apontado como “sócio oculto” do FIB Bank, empresa que ofereceu uma carta-fiança de R$ 80,7 milhões em um contrato da compra da vacina Covaxin, firmado entre a Precisa Medicamentos e o Ministério da Saúde. A aquisição foi cancelada por suspeita de irregularidades.

Apesar disso, o juiz Francisco Codevila negou pedidos como busca e apreensão de passaporte e proibição de se ausentar da comarca onde mora sem autorização da comissão. Na decisão, ele escreveu que “não comunicar a CPI o motivo que levou a sua ausência na data para a qual anteriormente convocada a depor, se revelou como evasiva e não justificada”.

Compartilhe: