Ministro da Saúde afirma que há excesso de vacinas no Brasil

Postado em: 15-09-2021 às 13h24
Por: Luan Monteiro
Marcelo Queiroga comemorou a logística de distribuição do governo federal | Foto: Reprodução

Mesmo com a antecipação da segunda dose travada em seis estados da federação, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, comemorou a logística de distribuição de imunizantes feita pelo governo federal e disse que “há excesso de vacinas no Brasil”.

Além dos estados que não tem imunizante para antecipar a segunda dose, há, ainda, os que tiveram de atrasar o intervalo entre aplicações por falta de vacina. Mesmo assim, o ministro negou nesta quarta-feira (15/09) que o país tenha problemas na distribuição.

“Há excesso de vacina na realidade, o Brasil já distribuiu 260 milhões de doses, 210 milhões já aplicadas”, disse Queiroga, sem explicar porque há estados sem doses disponíveis para seguir o calendário vacinal.

O ministro, que esteve em São Paulo na manhã desta quarta para receber um novo lote de vacinas a Pfizer, que devem ser enviadas a estados, negou que existam problemas na distribuição de imunizantes da AstraZeneca. “Precisa acabar com essas narrativas de falta de vacina. Isso não é procedente, o Brasil vai muito bem. O Brasil já é dos países que mais vacina no mundo”, disse.

Queiroga vê como um sucesso a distribuição de doses feita pelo ministério. O chefe da pasta comemorou ter concluído a entrega de 260 milhões de doses de imunizantes que, segundo o ministério, é o suficiente para vacinar toda a população com mais de 18 anos do país. Porém, a distribuição só foi completa após 9 meses de seu início.

Ainda assim, Queiroga afirmou que a velocidade de entrega do país é um “sucesso”. Ele também elogiou o trabalho de seu antecessor, o general Eduardo Pazzuelo, por ter firmado a maior parte dos contratos de compra de vacina.

Compartilhe: