Freiras são indiciadas por racismo, tortura e maus-tratos em lar de idosos

Terezinha Benetti, de 76 anos, e Marli do Carmo Pena, de 59, praticaram uma série de abusos contra as moradoras do local.

Postado em: 28-09-2021 às 18h49
Por: Alice Orth
Terezinha Benetti, de 76 anos, e Marli do Carmo Pena, de 59, praticaram uma série de abusos contra as moradoras do local. | Foto: Reprodução

A Polícia Civil (PC) de Santa Maria (RS) indiciou duas freiras por supostos crimes de racismo, maus-tratos e tortura contra idosos. Elas teriam cometido os crimes em um lar no município, a cerca de 290 km de Porto Alegre. O inquérito foi aberto em junho de 2019, pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS).

“Conseguimos ter indícios probatórios bastante fortes em depoimento de várias testemunhas, todas no mesmo sentido, confirmando as denúncias. Acreditamos que aconteceram mais fatos, mas conseguimos indícios fortes durante a instrução do inquérito em relação a quatro idosas que seriam as vítimas”, disse a delegada Débora Dias, da Delegacia de Proteção ao Idoso.

As acusadas foram afastadas em agosto do mesmo ano, após apuração interna e pedido do MP. Terezinha Benetti, de 76 anos, e Marli do Carmo Pena, de 59, praticaram uma série de abusos contra as idosas.

Continua após a publicidade

Entre os episódios relatados, uma delas teria deixado uma idosa nua por mais de uma hora após ela acidentalmente esquecer a chave do quarto; derrubado uma moradora do lar de uma cadeira de rodas usando um jato de água; feito suturas à mão, sem anestesia, e pedido de hospitalização negado; e proibição de uma mulher negra participar de um evento, para “não se misturar com brancos”, além de dizer-lhe ofensas racistas.

A defesa nega as acusações.

Veja Também