Pesquisador é alvo de xenofobia por bolsonaristas em audiência, em Manaus

Ecólogo classifica obras na BR-319 como 'maior ameaça atual à Amazônia'

Postado em: 29-09-2021 às 17h23
Por: Maria Paula Borges
Ecólogo classifica obras na BR-319 como 'maior ameaça atual à Amazônia' | Foto: Reprodução

O pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Philip M. Fearnside, foi alvo de ataques xenofóbicos durante uma audiência pública sobre o licenciamento ambiental para pavimentar a BR-319. A audiência aconteceu na noite da última segunda-feira (27/09), em Manaus, e a secretária presente afirmou que tudo está gravado e disponível no YouTube e, caso alguém tenha se sentido ofendido, pode tomar providências sobre.

Obra prioritária do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a rodovia é a única ligação terrestre da capital do Amazonas com o centro-sul do país. Além disso, o projeto é apontado pelo ecólogo americano e outros especialistas como a maior ameaça atual à Amazônia, uma vez que viabiliza a grilagem e desmatamento das terras.

O líder do Movimento Conservador Amazonas, Sérgio Kruke afirmou que a terra é deles e que ninguém pode dizer o que deve ser feito. “Como é que pode vir um cara lá dos Estados Unidos aqui? Como é que pode o cara vir de lá dizer o que eu vou fazer na minha casa. Essa casa é nossa. Se a gente quiser derrubar todas as árvores, a gente derruba. É nossa”, disse.

Continua após a publicidade

Após Fearnside ler um texto criticando a obra, os ataques bolsonaristas começaram. Segundo o ecólogo, o asfaltamento da rodovia não tem justificativa econômica e ameaça um imenso bloco de floresta responsável pela manutenção do fornecimento de vapor d’água para São Paulo.

O pesquisador foi um dos agraciados com o Prêmio Nobel da Paz, ao lado de milhares de outros cientistas do Intergovernamental Panel on Climate Change (IPCC), o painel de clima da ONU, em reconhecimento aos alertas sobre o aquecimento global. A intervenção de Fearnside foi interrompida pelo presidente da audiência, Rodrigo Herles, por ter passado do limite de tempo previsto. Ele não interveio na fala xenofóbica do bolsonarista e agradeceu a colaboração dentro do tempo.

Contrário à realização da audiência, o Observatório BR-319, a qual reúne entidades como a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) e Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam), disse não participar do evento devido aos riscos de saúde causados pela pandemia da Covid-19.

O foco das audiências e do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) é o Trecho do Meio. A proposta de pavimentação ainda está na fase de licenciamento prévio, com o EIA juntamente com o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) sob análise do Ibama.

Veja Também