Padre é acusado de assédio sexual e moral contra 8 monges, em Minas Gerais

O líder religioso do Mosteiro Santíssima Trindade, padre Ernani Maia dos Reis, está sendo investigado por assédio sexual e moral contra ao

Postado em: 01-10-2021 às 09h51
Por: Nielton Soares
De acordo com site, os crimes ocorreram entre 2011 e 2018. Religioso pediu afastamento do mosteiro, embora a Igreja já tinha conhecimento dos relatos | Foto: reprodução

O líder religioso do Mosteiro Santíssima Trindade, padre Ernani Maia dos Reis, está sendo investigado por assédio sexual e moral contra ao menos oito homens, entre 20 e 40 anos, (monges do local).

Os crimes teriam ocorrido na cidade de Monte Sião, em Minhas Gerais, onde fica localizado o mosteiro. Segundo o Portal UOL, o padre cometeu os crimes entre 2011 e 2018. Os nomes das vítimas não foram revelados.

Testemunhas relataram Ernani usava da autoridade e se auto-intulava de “pai” – como gostava de ser chamado por todos. E para se aproximar intimamente das vítimas, ele oferecia “sessões de psicanálise”.

Continua após a publicidade

Um dos monges chegou a contar que procurou o sacerdote para conversar acerca de conflitos entre seguir a vocação sacerdotal ou matrimonial. E como resposta, o padre teria dito que o homem era gay e pegado nas partes íntimas: “Você está precisando disso aqui, de pinto”, teria afirmado.

Por meio de denúncias, a Igreja Católica teve conhecimento dos supostos crimes sexuais do padre. Porém, o afastamento dele das atividades religiosas apenas aconteceu, quando ele próprio solicitou o afastamento do mosteiro, alegando “cansaço” e “crise vocacional”, em 2018.  

Ernani nega as acusações. E, hoje, possui um consultório de psicanálise, para atendimento particular.

Veja Também