Frequentando faculdade, Suzane Von Richthofen deve ficar em cela isolada até o fim da pandemia

O isolamento é para evitar a disseminação da Covid-19 na penitenciária.

Postado em: 07-10-2021 às 11h27
Por: Almeida Mariano
O isolamento é para evitar a disseminação da Covid-19 na penitenciária | Foto: Reprodução

Após iniciar o curso de biomedicina em setembro, Suzane Von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, passou a cumprir isolamento na penitenciária em Tremembé (SP). A medida tomada é para que a disseminação da Covid-19 seja evitada.

O isolamento atual é decorrente do fato dela frequentar as aulas e ter contato com outras pessoas fora do presídio. A previsão é que a medida deve ser mantida até o fim da pandemia, de acordo com os protocolos da Secretaria da Administração Penitenciária. O início do isolamento de Richthofen foi no dia 20 de setembro, assim que começou a frequentar as aulas da faculdade.

A Justiça também estabeleceu que Suzane deve apresentar boletim de notas e bimestralmente, de modo a demonstrar o aproveitamento no curso. As saídas de Suzane da penitenciária são monitoradas com tornozeleira eletrônica. Ela solicitou à Justiça para não utilizar o equipamento para frequentar as aulas, mas teve o pedido foi negado.

Continua após a publicidade

Desde que passou a sair da penitenciária, Richtofen ocupa uma cela individual, própria para isolamento, na ala de progressão da unidade. De acordo com a penitenciaria, as presas da já foram vacinadas ao menos com a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e que, atualmente, não há casos de suspeitas ou de confirmação de contágio.

Outra presa da penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier também tem autorização para estudar fora do presídio, porém, pelo fato de optar pelo ensino remoto, não precisa cumprir isolamento, como Richthofen.

Veja Também