Aumento da fome: moradores de Fortaleza procuram comida em caminhão de lixo; veja vídeo

Postado em: 18-10-2021 às 16h03
Por: Giovana Andrade
Comida era descartada por supermercado em bairro nobre da cidade e iria para caminhão de lixo; imagens foram registradas por motorista de aplicativo e compartilhadas neste domingo (17). | Imagem: Reprodução

Um vídeo que circula nas redes sociais, publicado neste domingo (17/10), mostra um grupo de pessoas procurando alimentos dentro de um caminhão de lixo, na porta de um supermercado em uma área nobre da cidade de Fortaleza. Nas imagens, registradas pelo motorista de aplicativo André Queiroz no último dia 28 de setembro, homens e mulheres coletam comida descartada de um comércio.

“Pois é, muito triste. Existem cenas como essa sempre naquela região. Sempre vejo, mas não como essa daí. Por isso resolvi filmar. É bem impactante”, afirmou André Queiroz.

Ao G1, um funcionário do supermercado que preferiu não se identificar afirmou que a cena se repete com frequência. “É isso aí que você vê no vídeo. Faz pena ver essas pessoas nessa situação humilhante. São idosos e até crianças, algumas vezes. As crianças chegam a entrar no caminhão. Os próprios lixeiros ficam sensibilizados. Alguns chegam até ajudar”, disse.

O funcionário relatou ainda que a cena passou a ser mais corriqueira depois da pandemia, diferentemente do que acontecia antes, que eram algumas pessoas procurando por materiais recicláveis, como papelão, caixas e plásticos no local.

“Eram catadores que procuravam material para ser reciclado. Hoje o que vemos aqui é gente atrás de se alimentar. Eles pegam tudo. Hortaliças, mortadela, pão vencido e também as frutas. Uma cena de cortar o coração”, lamenta o funcionário.

Aumento da fome

De acordo com dados coletados no fim de 2020 pelo Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia de Covid-19 no Brasil, realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), a fome atingiu 19 milhões de brasileiros nos últimos meses do ano passado, número quase duas vezes maior que o registrado no país dois anos atrás. A pesquisa também apontou que, no mesmo período, cerca de 116,8 milhões de pessoas enfrentaram algum grau de insegurança alimentar.

Com o crescimento da fome no país, houve registro de cenas como a ocorrida em Fortaleza. No Ceará, cerca de 1 milhão de pessoas vive na extrema pobreza, com renda mensal de até R$ 89, de acordo com o Ministério da Cidadania.

Em Cuiabá, a distribuição de pedaços de ossos com retalhos de carne tem formado filas que aumentaram com a crise causada pela pandemia. O açougue, que distribui os ossos há dez anos, diz que, anteriormente, a procura acontecia apenas uma vez por semana e, agora, são três.

Compartilhe: