Embaixador da Guiné-Bissau deixará posto após denúncias de racismo e ingerência praticados pela esposa

A esposa do embaixador é diretora administrativa de uma organização com sede em Goiânia.

Postado em: 12-11-2021 às 15h36
Por: Almeida Mariano
A esposa do embaixador é diretora administrativa de uma organização com sede em Goiânia | Foto: Reprodução

O embaixador do Brasil na Guiné-Bissau, Fábio Franco, deixará o posto que ocupa no país africano após investigação do Itamaraty apontar que sua esposa, mesmo sem vínculo formal com o Ministério das Relações Exteriores, realizava interferências em atividades diplomáticas. A mulher também teria chamado guineenses de “macacos”.

Shirley Carvalhêdo Franco, esposa de Fábio Franco, é professora da Universidade de Brasília (UnB) e diretora administrativa do Cpinter, Centro de Pesquisa Internacional, com sede em Goiânia. A embaixatriz tinha ingerência na rotina da embaixada, chegando até a ter a ocupação de uma sala no local.

Segundo entrevista da Folha de São Paulo, entre brasileiros e guineenses, alguns afirmaram que ela tinha o costume de praticar assédio moral e fazer ofensas racistas contra guineenses que trabalham para a embaixada, como ter chamado os guineenses de “macacos” e dito que eles “só servem para fazer sexo, não para trabalhar”.

Continua após a publicidade

Em agosto deste ano, de acordo com uma servidora, a embaixatriz teria impedido o marido de buscar substitutos para dois postos de ministras, após as titulares pedirem para serem removidas, e outros dois de nível superior que ficaram vagos. Shirley teria dito que ela própria iria assessorar Franco e “moralizar” o órgão. Em publicações da página oficial da repartição no Facebook, Shirley aparece em vídeos de cerimônias online onde fazia participações ou até mesmo apresentava os eventos.

Funcionários da embaixada afirmam que foram comunicados de que o casal voltará ao Brasil em dezembro deste ano. De acordo com eles, no último domingo (7) Shirley fez uma festa de aniversário e despedida, sem mencionar o motivo da volta do casal ao Brasil.

Fábio Franco entrou para a carreira diplomática em 1992 e foi aprovado para o cargo na Guiné-Bissau em novembro de 2018.

Apesar de não ter possibilitado o contato com os responsáveis, a redação se encontra à disposição para manifestações e esclarecimentos.

Veja Também