Morte de Olavo: processo contra Caetano, críticas a Bolsonaro e decreto de luto do governo federal

Olavo muitas vezes defendeu o presidente, mas nos últimos tempos a relação entre os dois se encontrava estremecida. 

Postado em: 25-01-2022 às 18h13
Por: Victoria Lacerda
Olavo muitas vezes defendeu o presidente, mas nos últimos tempos a relação entre os dois se encontrava estremecida. | Foto: Reprodução/Internet

Na noite da última segunda-feira (24/01), o escritor e bolsonarista Olavo de Carvalho morreu, aos 74 anos. A notícia da morte foi comunicada pela família nas redes sociais do autor. Com a notícia do óbito em alta, várias questões vieram à tona, um exemplo delas é: como fica o caso Olavo x Caetano após a morte do autor?  

Desde 2017 o bolsonarista era réu em um processo movido por Caetano Veloso e foi condenado a pagar a quantia de R$ 2,9 milhões ao músico. Com a morte do escritor, deve-se iniciar um processo de inventário e de partilha, e somente depois desse longo processo, Caetano poderá pedir que a ação volte a correr representada pelos sucessores. 

Importante lembrar que o processo surgiu devido a publicação que o acusava Caetano de pedofilia. 

Continua após a publicidade

Decreto Oficial 

Através de uma edição extra do Diário Oficial da União, o atual presidente Jair Bolsonaro (PL), decretou luto oficial de um dia pela morte do escritor Olavo de Carvalho. 

Vale lembrar que Olavo ficou muito conhecido como guru do bolsonarismo, ele era seguido por diversos aliados do presidente.

Bolsonarista 

Diversas vezes Jair Bolsonaro elogiou Olavo em suas redes sociais, um de seus filhos o classificava como “ícone” e “guru bolsonarista”. Já Olavo muitas vezes defendeu o presidente, mas nos últimos tempos a relação entre os dois se encontrava estremecida. 

“O Brasil vai se dar muito mal. Não venham com esperanças tolas, porque a briga já está perdida. Existem chances de fazer voltar? Existe uma chance remota, mas só se o Bolsonaro acordar, mas eu não sei como fazê-lo acordar. Dizem que eu sou o ‘guru do Bolsonaro’. Isso é absolutamente falso. Conversei com ele somente quatro vezes na minha vida”, falou em entrevista que concedeu a um canal de aflitos bolsonaristas no YouTube.

“Então, a minha influência sobre o Bolsonaro é zero. Ele me usou como ‘poster boy’ [garoto propaganda, em livre tradução]. Me usou para se promover, para se eleger. E, depois disso, não só esqueceu tudo o que dizia como até os meus amigos que estavam no governo, ele tirou”, finalizou na época. 

*Com informações de portal uol.

Veja Também