Sargento obriga estudante negro a cortar cabelo em escola militar; “Se escondendo entre as meninas”

Segundo sua família, o garoto estuda no local há quase dois anos, e nunca havia sido abordado nesse sentido.

Postado em: 22-02-2022 às 08h58
Por: Ícaro Gonçalves
Segundo sua família, o garoto estuda no local há quase dois anos, e nunca havia sido abordado nesse sentido | Foto: Reprodução

Um estudante negro de 12 anos, aluno da escola militarizada Centro de Ensino Fundamental 1, no Distrito Federal, contou a família que foi constrangido na última semana por um sargento do Corpo de Bombeiros, que questionou o motivo de seu cabelo comprido e mandou que o cortasse. Na ocasião, o militar ainda teria feito um comentário preconceituoso, dizendo que o menino estava “se camuflando entre as meninas”.

A situação teve início após o aluno buscar auxílio clínico no colégio. Ele estaria com problemas em seu olho, e ao buscar ajuda do sargento, foi questionado: “Por que você está com o cabelo grande desse jeito?”, contou a irmã do menino, Rosa Carvalho, 25 anos, em entrevista ao portal Metrópoles.

O sargento indagou se seria por algum motivo religioso ou alguma promessa e, ao receber a negativa do garoto, o servidor teria dito: “Você está se camuflando no meio das meninas”. O militar chegou a ligar para a família da criança, dizendo que o menino teria de cortar o cabelo para se enquadrar no regulamento da instituição.

Continua após a publicidade

A fala pegou a família de surpresa, pois o garoto estuda no local há quase dois anos, sempre usou o cabelo amarrado ou em coque e nunca havia sido abordado nesse sentido.

Por meio de nota ao portal, o CBMDF disse que o “cabelo estava fora do padrão estabelecido nas escolas cívico-militares” e que o sargento orientou o jovem de “forma didática” para que ele se adequasse ao corte exigido pelo “regulamento vigente desde o ano de 2019”.

Veja Também