Lollapalooza Brasil: mesmo em ambiente aberto, especialistas afirmam que festival deveria exigir teste de Covid-19

Infectologistas e epidemiologistas discutem as preocupações para a realização do evento, que visam diminuir uma potencial transmissão descontrolada do coronavírus

Postado em: 04-03-2022 às 09h41
Por: Alexandre Paes
Infectologistas e epidemiologistas discutem as preocupações para a realização do evento, que visam diminuir uma potencial transmissão descontrolada do coronavírus | Foto: Reprodução

Faltando menos de um mês para o retorno do Lollapalooza, os organizadores preveem que até 100 mil pessoas podem passar diariamente pelo festival, que vai acontecer entre os dias 25 e 27 de março. Mas a infectologista Raquel Stucchi pontua que as aglomerações durante o feriado do Carnaval (apesar das proibições e decretos) trazem um risco de novo aumento na transmissão do vírus, e, consequentemente, um certo descontrole da pandemia.

A sexta-feira e o sábado do evento estão com ingressos esgotados. Isso já garante que este será o evento no Brasil com maior público desde o início da pandemia de Covid-19. Além de Raquel, outros infectologistas e epidemiologistas discutem, quais as preocupações para a realização do evento, que visam diminuir uma potencial transmissão descontrolada do coronavírus.

De acordo com a restrição do festival, apenas as pessoas vacinadas poderão entrar, e o local é em ambiente ao ar livre, fatores que deixam a organização do evento otimista. Mas os especialistas criticam a ausência da necessidade de se apresentar um teste negativo para a Covid-19 na entrada.

Continua após a publicidade

“Observamos em vários eventos com jovens que, apesar de teoricamente ser obrigatória a apresentação do certificado de vacinação, não há barreira efetiva sobre a solicitação do comprovante”, disse Rosana Richtmann, que também é membro da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Em posicionamento enviado à CNN, a organização do Lolla afirmou que o festival “tem uma equipe 100% dedicada em estabelecer os cuidados e em colocar em prática os protocolos necessários”. O comunicado também diz que será necessário apresentar o comprovante de vacinação (físico ou virtual) com, no mínimo, duas doses do imunizante contra a Covid-19.

“Também será obrigatório o uso de máscara dentro do Autódromo de Interlagos, sendo que a retirada só será permitida para o consumo de alimentos e de bebidas”, acrescentam os organizadores. Stucchi pontua que seria necessário cobrar as três doses completas daqueles que já estão aptos a tomar. “Apenas a segunda dose, a gente sabe que não se entende como uma vacinação básica para a Ômicron.”

Veja Também